Homepage Newsletter Produção

Importações de bacalhau da Islândia registam em 2016 valor mais alto de últimos sete anos

Por a 13 de Fevereiro de 2017 as 17:46
bacalhau

Portugal comprou no ano passado às empresas islandesas 11 025 toneladas de bacalhau, o que representa o valor mais alto desde 2009, totalizando os 52,4 milhões de euros.

O volume de importação de bacalhau representa uma subida de mais de 1800 toneladas face a 2015, revela em comunicado a Íslandsstofa, entidade de promoção além-fronteiras dos produtos islandeses.

Portugal detém uma quota de mercado de 9,1% nas vendas globais de bacalhau islandês, comprando maioritariamente bacalhau salgado. O que torna o país o segundo maior comprador de bacalhau salgado da Islândia, apenas ultrapassado pela Espanha.

Nas vendas globais dos vários tipos de bacalhau exportado pelo país do norte da Europa, o nosso País consta como o quarto destino das exportações em volume e o quinto em valor, num ranking liderado pelo Reino Unido que, com uma quota de 24%, “utiliza o bacalhau fresco para o ‘fish and chips’ – peixe frito com batatas fritas servido nos espaços móveis de venda de comida”, explica a entidade.

A Espanha, com uma quota de 23,9%, perdeu no último ano a liderança no ranking, ocupando agora a segunda posição. Das mais de 29 mil toneladas de bacalhau da Islândia importadas por Espanha no ano passado, mais de um terço são de bacalhau salgado. A França, que compra essencialmente bacalhau fresco, encontra-se em terceiro lugar.

A diretora de Alimentação, Pescas e Agricultura da Iceland Stofa – Promote Iceland prevê que este ano continue a ser um ano de crescimento para o bacalhau da Islândia em Portugal. “Acreditamos que podemos crescer no competitivo mercado português, estamos a recuperar para níveis iguais aos da pré-crise financeira e, se este ano mantivermos o mesmo nível de crescimento que no ano passado, poderemos ultrapassar as 11 mil e 300 toneladas registadas em 2007, o melhor ano da ultima década”.

No ano passado, o país nórdico aumentou a maior parte das quotas de pesca para as principais espécies, incluindo o bacalhau. A pesca é a terceira maior atividade económica da Islândia e, nos últimos anos, o país implementou um extenso programa de pesca responsável para aumentar os stocks e garantir as melhores práticas de gestão e processamento do peixe, desde que é pescado até à chegada aos pontos de venda.

Leia também: AIB PROPÕE EM ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA CRIAÇÃO DE DIA NACIONAL DO BACALHAU

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *