Distribuição Homepage Newsletter

Green Swan renova parque da Toys’r’us depois de vender cadeias Maxi Toys e Intertoys

Por a 4 de Dezembro de 2019 as 11:40

1200px-Intertoys_WinkelA cadeia de brinquedos Toys’r’us, liderada a nível ibérico pelo fundo português Green Swan, lançou uma nova geração de lojas, em Espanha, e tem prevista a reformulação dos seus espaços nos próximos anos.

O novo conceito “proibido não tocar” está já implementado “com muito sucesso em três lojas” em Espanha. “Agora vamos expandir o conceito ao resto das lojas. Estimamos que dentro de quatro a cinco anos todas as lojas terão já o novo conceito”, explica fonte do grupo Green Swan, ao Hipersuper.

O grupo de investimento adquiriu a Toys’r’us Iberia Real State em agosto de 2018, cinco meses depois de esta ter declarado insolvência junto dos tribunais de Madrid. Na altura, a cadeia contava com 53 estabelecimentos, dos quais 11 em Portugal.

A mesma fonte explica que este é um projeto em que o grupo está “focado e com diversos investimentos”. Além do referido conceito de loja física, “toda a plataforma tecnológica foi revista para também ter o e-commerce adequado às exigências e necessidades dos consumidores”, destaca.

Em setembro, uma outra fonte da insígnia explicou ao Hipersuper que o objetivo passa por chegar às 25 aberturas de lojas, entre Portugal e Espanha, nos próximos cinco anos. Deste plano, até agora, a Toys’r’us inaugurou três espaços: no centro comercial Islazul (Espanha), em setembro de 2018, no AlgarveShopping, em maio deste ano, e mais recentemente uma loja de rua em Madrid.

O gruo não adianta quais as próximas aberturas previstas para Portugal. “Quando tivermos contratos firmados anunciaremos. A nossa prioridade era o sul do País que não estava coberto. Agora com a abertura de Albufeira temos esse objetivo cumprido”, explica a fonte da Green Swan contactada pelo Hipersuper.

Compra e venda de insígnias Maxi Toys e Intertoys

Depois da Toys’r’us, o grupo continuou com as aquisições no segmento de brinquedos, retirando outra insígnia do vermelho. Este ano, o grupo comprou, em janeiro, a belga Maxi Toys e, em março, a holandesa Intertoys. Acabou depois por vender ambas, em setembro, ao Mirage Toys Group, da Holanda.

À data da aquisição por parte do fundo português, a Maxi Toys “estava a cair em vendas há cinco anos consecutivos”, dá conta. “Devido a uma estratégia agressiva de foco em marca própria, drop shipment e e-commerce, as vendas ao fim de sete meses estavam com crescimento anual superior a 6% [em termos de receitas like-for-like], o que foi uma surpresa agradável para nós”. 

A estratégia delineada para a Maxi Toys foi de “dinamização da marca própria, com mais de 20 marcas e também a mudança do mix da empresa”.

A venda das insígnias ao Mirage Toys Group, surgiu por oportunidade. Sendo este um player “com bastante experiência e foco local”, abriu-se também a “oportunidade de juntar a Intertoys ao processo, associado a um contrato de acesso à marca própria da Maxi Toys por parte da Toys’r’us”, específica a fonte. Dada a possibilidade de manter, entre as várias marcas de brinquedos, uma relação de “coopetition”, o grupo “decidiu-se pela venda”.

Em conjunto, a Intertoys e a Maxi Toys representam receitas anuais de 400 milhões de euros, segundo o comunicado emitido pela Green Swan, em setembro, a dar conta da transação, da qual não revela pormenores financeiros. 

A Intertoys detém 127 lojas próprias e 80 franchisadas, na Holanda. Já a Maxi Toys está espalhada por França, Bélgica, Luxemburgo e Suíça, com 200 pontos de venda. Ainda sob os comandos da Green Swan, a Maxi Toys adquiriu a cadeia Bart Smite, aumentando a quota de mercado na Bélgica.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *