Destaque Destaque Homepage Homepage Logística Newsletter

Chronopost entra na distribuição alimentar em 2019

Por a 24 de Julho de 2018 as 12:07
Chronopost

O serviço de distribuição de produtos alimentares que a Chronopost disponibiliza já nos mercados internacionais chega a Portugal em 2019. “Vamos apostar na distribuição de produtos alimentares frescos, através da nossa participada Chronofresh”, revela ao Hipersuper Olivier Establet, CEO da Chronopost Portugal. Nos mercados onde já atua, a Chronofresh especializou-se na distribuição de alimentos ultracongelados e à temperatura ambiente. “Prevemos que esteja operacional em Portugal em 2019”, indica Olivier Establet.

Para montar a operação, a empresa de transporte e logística vai investir na aquisição de uma frota própria de transporte adequada à distribuição de perecíveis e na formação de trabalhadores. O CEO da Chronopost explica que este investimento é crucial para que “os produtos mantenham as condições ideais ao longo de todo o processo logístico até chegarem ao destinatário”.

O segmento de produtos alimentares tem um “enorme” potencial de crescimento, na visão de Olivier Establet. Com o crescimento das vendas online e a expansão das cadeias de proximidade, os retalhistas vão precisar de uma infraestrutura logística eficiente que dê resposta aos desafios da distribuição de alimentos.

Segundo um estudo anual do DPDgroup, 14% dos compradores online portugueses fazem compras de alimentação e 30% dos que compram online com frequência juntam à lista alimentos frescos e bebidas. “Estes dados revelam que os clientes procuram cada vez mais nos canais online este tipo de produtos. O nosso objetivo é acompanhar a evolução em todos os setores nos quais atuamos”, refere o CEO.

Além do canal alimentar, a empresa está apostada em crescer no setor da moda. Seja online ou em loja, o vestuário e o calçado são os artigos mais comprados no mercado português. A moda representou quase 15% da totalidade das compras realizadas pelos portugueses no ano passado, segundo o mesmo estudo. Para ganhar terreno neste setor, a Chronopost tem em curso a criação de um portal de devoluções. “É uma questão de interesse primordial no setor de moda porque os artigos fashion são os que registam mais compras em Portugal”.

Aumentam compras na China

Quase metade dos portugueses faz compras online. A grande maioria considera a experiência “fácil” e “muito positiva”, segundo a mesma fonte.

Na preferência por sites internacionais, os portugueses destacam-se em relação aos europeus. “Um quarto dos portugueses comprou em 2017 pelo menos uma vez num site estrangeiro, bastante acima da média europeia de 19,2%. A China tornou-se este ano o país onde os portugueses mais compram, seguida do Reino Unido e Espanha”, comenta Olivier Establet. As compras cross-border estão a crescer “significativamente” em Portugal, em especial para os produtos originários da China. “Acreditamos que ainda há espaço para um crescimento mais acelerado, uma vez que um terço dos eshoppers está disposto a começar a comprar no estrangeiro. Por isso, a nossa previsão é que a atividade de ecommerce em Portugal continue a crescer de forma acentuada este ano”, acrescenta.

No ano passado, a Chronopost movimentou 19,2 milhões de encomendas, quase duas por cada português. Segundo Olivier Establet, a cifra garante à empresa a liderança do mercado doméstico de transporte expresso em encomendas até 30 quilos. “Prevemos continuar a liderar esta área de negócio este ano. Acreditamos que o número de encomendas B2C seja superior a 2,7 milhões em 2018”, estima o CEO da empresa.

No total, durante o ano passado, a empresa entregou 13 milhões de encomendas aos portugueses, uma “grande parte” proveniente de compras online. “Só o serviço da rede Pickup, que conta com cerca de 600 lojas em Portugal, entregou 1,2 milhões de encomendas em 2017”, declara.

As receitas da empresa em Portugal subiram 11% em 2017 para 43,4 milhões de euros. Olivier Establet estima que as receitas cresçam 9% para 47 milhões de euros no final deste ano.

A Chronopost tem 800 trabalhadores, uma frota própria constituída por 400 viaturas de distribuição e 10 pesados, e opera 13 estações de distribuição.

*Texto originalmente publicado na edição impressa de julho do Jornal Hipersuper

 

 

 

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *