FMCG Marcas

Fenelac: “Defesa da produção nacional não pode ser um slogan publicitário”

Por a 14 de Junho de 2011 as 16:57

Posição da Fenelac sobre defesa da produção nacional por parte da Grande Distribuição

 

“A situação económica, financeira e social do nosso País é por todos reconhecida como muito difícil e complexa, sendo unânime que necessitamos de equilibrar o défice externo reduzindo as importações, nomeadamente, por via do aumento da produção nacional de produtos agrícolas e bens alimentares.

Neste cenário, a defesa da produção agrícola nacional deverá ser efectivamente no futuro um desígnio de toda a sociedade, mas com particular responsabilidade por parte dos operadores económicos, desde a produção à distribuição, e dos poderes públicos.

No entanto, a FENALAC, enquanto representativa do sector leiteiro cooperativo, tem acompanhado com perplexidade as recentes iniciativas de alegada ‘defesa da produção nacional’ promovidas por operadores económicos da grande distribuição, na medida em que este desígnio não pode ser apenas um lema de uma campanha publicitária bem urdida mas com propósitos enviesados”.

Distribuição afecta produção de leite

“Naquilo que diz respeito ao nosso sector, a produção de leite nacional tem sofrido nos últimos anos as consequências das opções da Distribuição, nomeadamente a preferência pelo abastecimento no estrangeiro (Espanha, França, Alemanha e Polónia) para as suas marcas próprias, a deterioração das condições comerciais e a utilização do leite como produto de atracção de clientes às grandes superfícies, diminuindo assim a percepção do valor do leite enquanto alimento nutritivamente rico e das suas elevadas exigências em matéria de processo produtivo e de segurança alimentar (as quais representam um elevado encargo na cadeia de valor).

Acresce ainda que as importações de leite são uma prática generalizada, mas especialmente significativa nas cadeias de distribuição de origem nacional, situação que torna ainda mais caricata as campanhas de comunicação das mesmas nos moldes actualmente em vigor”.

Produção cai 2% na última campanha

Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) demonstram que no primeiro trimestre de 2011 as importações de leite somaram 41 milhões de litros (no valor de 30 milhões de euros), as de queijo 34 milhões de euros e as de iogurtes 33 milhões. Estes números são agravados pelo facto de Portugal ser um País auto-suficiente em matéria de produtos lácteos e as importações corresponderem em grande parte a produtos das marcas próprias da Distribuição.

A FENALAC não pode deixar de manifestar o seu desapontamento, na medida em que esta situação tem provocado grandes dificuldades na remuneração do leite à produção com consequências na viabilidade das explorações e na própria capacidade produtiva do País que baixou quase -2% (36 milhões de litros) na última campanha terminada em Março último. A Defesa da Produção de Leite é algo importante e sério demais para servir apenas de slogan a campanhas publicitárias”.

 

(Os subtítulos são da responsabilidade da redacção)

Um comentário

  1. Pedro Martins

    15 de Junho de 2011 at 9:14

    O único “produto nacional” ó o Tony…..

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *