Naturea cria marca de luxo para cães e gatos

9 de Fevereiro de 2012 por Rita Gonçalves

A má notícia chegou em meados de 2010. Os novos proprietários de uma marca canadiana de pet food à venda em Portugal rescindiram contrato com a empresa de Raul Abraão por falta de consenso na definição de objectivos de vendas.

 

O “azar”, como chama à contrariedade Raul Abraão, foi ao mesmo tempo o golpe de sorte dos cinco trabalhadores que constituem a equipa da Naturea. Fundaram a Naturea – The Natural Grain Free Concept – em Setembro de 2010 e três meses depois a ração e os biscoitos para cão criados de raiz pela empresa portuguesa começam a suscitar interesse em Espanha.

Hoje, são vendidos também na Alemanha, Eslováquia, República Checa, Lituânia, Áustria, Luxemburgo e Dinamarca.

Sem margem para investimentos avultados, Raul Abraão reuniu 35 mil euros para arrancar com a empresa. Com a colaboração de veterinários e nutricionistas, criou uma fórmula “única e biologicamente adequada”.

Após algumas tentativas frustradas de parceria com fábricas portuguesas, chegou a acordo com uma “grande” unidade industrial de “pet food” no Reino Unido.

Todos os ingredientes utilizados em Naturea são aprovados para consumo humano e a receita tem a particularidade de dispensar cereais na composição. “Como cães e gatos são animais carnívoros, não faz sentido incluir nas suas dietas qualquer tipo de cereal”, sublinha o fundador da Naturea. Carne fresca de frango, salmão, fruta, vegetais, ervas aromáticas e algas marinhas, são alguns dos ingredientes utilizados que fazem as delícias dos animais de quatro patas.

 

Biscoitos gourmet

A estrela da casa são os biscoitos para cão fabricados numa tradicional padaria em Sintra. “Não foi tarefa fácil convencer uma fábrica que produz produtos para consumo humano a produzir, em simultâneo, biscoitos para cão. Mas, quando partilhámos a receita, os responsáveis confirmaram que todos os ingredientes utilizados são aprovados para consumo humano e que a única diferença dos biscoitos é ter a forma de um osso”, conta o CEO da Naturea. Também a receita dos biscoitos não integra cereais. A fécula de batata é utilizada como “elemento aglomerador” dos diversos ingredientes.

Bastou a participação numa feira de grande dimensão em Itália e a divulgação dos biscoitos nas redes sociais, para a pequena empresa portuguesa começar a exportar. “Os biscoitos são a alma diferenciadora deste projecto e a porta de entrada nos mercados externos”. Apesar disso, a ração é o produto com mais peso no volume de negócios (80%).

Dirigida à classe média-alta e alta, prova disso é o design cuidado das embalagens, a marca não assume um posicionamento super premium. “Não somos uma marca super premium, mas concorremos com as marcas que se posicionam no segmento de luxo nos lineares no mercado especializado: lojas pet e veterinárias”.

A Naturea venceu recentemente o Prémio Portugal Vencedor, promovido pela Intervet/MSD, que distingue o projecto que mais se destacou na área da saúde animal.

 

Chegar ao Porto

A Naturea tem distribuidores exclusivos em nove mercados: Portugal, Espanha, Alemanha, Eslováquia, República Checa, Lituânia, Áustria, Luxemburgo e Dinamarca. E está de olhos postos no Canadá.

“Decidimos trabalhar Portugal como mais um país porque rapidamente Espanha vai liderar o TOP das vendas: num mês apenas pusemos o produto à venda em 72 lojas em Madrid. Na Alemanha também vamos registar um bom resultado. O nosso distribuidor propõe-se a colocar a marca em 5 mil pontos de venda”.

Em Portugal, concretamente na Grande Lisboa, a marca está nos lineares de 140 lojas e o objectivo é atingir 300 estabelecimentos no final deste ano. “Chegar ao Grande Porto e invadir a zona litoral do País”, é mais um desígnio para 2012.

Raul Abraão estima crescer 1000% este ano. “Vamos vender cerca de 2 milhões de quilos de ração e 140 toneladas de biscoitos em 2012. A facturação deverá crescer de 400 mil para 4 milhões de euros. E o mercado internacional deverá representar 90% do volume de negócios”.

O lançamento de uma linha de ração húmida produzida numa fábrica de enlatados para consumo humano, idealmente em parceria com uma empresa portuguesa, é o próximo projecto da empresa de Santarém que sonha erguer uma unidade fabril. “Depois de consolidar a marca nos mercados internacionais, queremos investir na construção da nossa própria fábrica”. A meta é “conquistar nos próximos quatro anos a liderança do mercado europeu de dietas biologicamente adequadas para cães e gatos”.

 

 

     
  • Notícias relacionadas

    No related posts.

Deixar uma resposta