Destaque Homepage Newsletter Ponto de Venda

71% dos portugueses são e-shoppers e dizem que poupam ao comprar online

Por a 3 de Abril de 2024 as 15:50

Em 2023, 71% dos portugueses fazia compras online, um salto qualitativo de 5% em relação ao ano anterior e um número muito próximo da média europeia (76%). Foi o regresso a um aumento de e-shoppers, já que em 2022 Portugal registava 66% de compradores online no seu universo de consumidores.

Esta é uma das conclusões do mais recente Barómetro e-Shopper 2023 da Geopost, grupo europeu de entrega de encomendas e soluções para o comércio eletrónico, do qual faz parte a operadora de transporte expresso DPD.

Apresentado nesta quarta-feira, em Lisboa, por Carla Pereira, diretora de comunicação e marketing da DPD Portugal, o relatório revela que só no ano passado, os consumidores online portugueses regulares receberam quatro encomendas em média no mês anterior às entrevistas – realizadas em junho e até melados de julho.

E o que compram mais os e-shoppers portugueses em 2023?  A moda (59%) foi a categoria mais comprada, seguida de beleza e saúde (51%) e calçado (41%). Os livros foram responsáveis por 36% das compras online, mas esta categoria registou uma quebra de 10% a 2022. Os frescos e bebidas foram responsáveis por 32% das compras dos e.shoppers, os artigos de mercearia representaram 28% e o lazer 27%.  A categoria tecnologia/eletrónica centrou 26% das compras online dos portugueses, embora tenha registado um decréscimo em relação ao ano anterior (-6%). O ranking das dez categorias mais procurados fica completo com o pequeno mobiliário e decoração (24%) e os brinquedos (24%).

O e-commerce é fácil e mais barato

Segundo os e-shoppers portugueses, é muito fácil comprar online. Do total de entrevistados, 85% dos consumidores afirmaram ser muito simples este processo de compra, bastante acima da perceção da média europeia (71%). “Parabéns a todos os que vendem online em Portugal, porque tornam esta experiência mais facilitada, para quem compra”, elogiou Carla Pereira na apresentação do Barómetro e-Shopper 2023.

Um dos principais resultados do relatório foi o facto de comprovar que os consumidores portugueses são os mais sensíveis ao preço no que toca a compras online, comparativamente a outros países europeus: 71% (+6% do que em 2022) dos e-shoppers regulares nacionais consideram que comprar online poupa dinheiro, contra os 65% da média europeia. “Aqui estamos a falar não só de aproveitar momentos, como a black Friday, e também os saldos, mas todas as vezes que as marcas fazem promoções online”, sublinha a diretora de comunicação e marketing da DPD Portugal.

Números que refletem o impacto da inflação na carteira dos portugueses, para quem o preço é o fator mais importante nas suas decisões de compra (76%), ou para quem procura estar sempre atento a um bom negócio (79%).

Compras C2C online a crescer

Outra tendência que o barómetro revelou prende-se com o C2C, as compras entre consumidores. Em 2023, já 60% dos e-shoppers portugueses compravam ou vendiam artigos em plataformas C2C. E 37% faziam-no pelo menos uma vez por mês.

Apesar de ser uma percentagem inferior à registada na Europa (72%), 1/3 dos e-shoppers regulares nacionais aumentaram as compras de produtos em segunda-mão. Mais uma vez, o preço, mais baixo, dos artigos é o dos fatores fundamentais para este tipo de compra (65%), aliado ao facto deste tipo de comércio online dinamizar uma economia mais responsável (42%), ao gosto em comprar junto de pequenos retalhistas (22%) e à preferência em realizar a compra num vendedor individual, em detrimento de plataformas de marcas (12%). Neste formato de compras online, as redes sociais continuam a ter um importante papel.

Entregas Out-of-Home a crescer

Outro destaque deste relatório é o crescimento da escolha de entregas Out-of-Home (OOH), enquanto as entregas em casa estão a perder peso. São já 27% os e-shoppers regulares que optam por pelo menos um local de entrega OOH, como o click and collect (15%) e as parcel shops (11%). Os lockers ainda são uma opção limitada (9%), mas que tem vindo a crescer: mais 4% do que em 2022 e mais 6% do que em 2021.

Por fim, quanto à experiência da compra online e da entrega, os e-shoppers portuguesas afirmam ser muito positiva e estável, com 85% a considerarem a compra simples (percentagem acima dos 71% da média europeia) e 82% a afirmarem que a última entrega foi feita sem esforço (contra 72% na média da Europa).

Realizado no formato blind test, o Barómetro e-Shopper 2023 da Geopost fez uma análise da realidade do comércio eletrónico na Europa e englobou um total de 24.233 entrevistas em 22 países europeus. Em Portugal, o relatório contou com 1.006 entrevistas.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *