Edição digital
PUB
Distribuição

Lojas Continente inovam no ‘refill’ de detergentes, alimentos secos e alimentação animal

‘Refill Spot by Continente’ é um novo espaço, inaugurado nas lojas Continente, com venda a granel automatizada e em regime de self-service, que permite aos clientes reutilizar embalagens na compra […]

Ana Rita Almeida
Distribuição

Lojas Continente inovam no ‘refill’ de detergentes, alimentos secos e alimentação animal

‘Refill Spot by Continente’ é um novo espaço, inaugurado nas lojas Continente, com venda a granel automatizada e em regime de self-service, que permite aos clientes reutilizar embalagens na compra […]

Sobre o autor
Ana Rita Almeida
Artigos relacionados
Grupo Garland cria nova empresa para acelerar processos alfandegários
Exportação
Cerveja Sagres brinda ao verão com nova campanha
Bebidas
Compal da Horta cria site ‘Conservas sem rodeios’ para valorizar as conservas em lata
Alimentar
Madeirense Ana Camacho vence a primeira edição de “Mistura Beirão”
Bebidas
Mistura Beirão
Inflação leva consumidores a planear poupar nos saldos de verão
Retalho
Grupo Boticário reforça presença em Portugal com o primeiro Boticário LAB fora do Brasil
Retalho
O Boticário Lab
Gonçalo Coelho de Carvalho é o novo diretor comercial e de marketing da Adico
Não Alimentar
Digidelta investe 3,4 milhões na fábrica Decal 4.0 em Torres Novas
Não Alimentar
Bom Petisco com novidade: posta de atum em molho de escabeche
Alimentar
Bom Petisco continua a apostar na inovação
Porto vai receber a XVII Reunião Mundial de Direito Aduaneiro
Logística

‘Refill Spot by Continente’ é um novo espaço, inaugurado nas lojas Continente, com venda a granel automatizada e em regime de self-service, que permite aos clientes reutilizar embalagens na compra de um conjunto de produtos, (detergentes, alimentos secos e alimentação para cão e gato) e promover a poupança e a circularidade das embalagens.

Esta iniciativa assume um espaço central na agenda de sustentabilidade do Continente “porque possibilitará testar em ambiente real e em escala, uma abordagem complementar às embalagens de uso único. Tendo impactos muito significativos em toda a cadeia de valor, dos produtores aos consumidores, esta iniciativa permitirá avaliar adequadamente os impactos económicos, ambientais e operacionais deste novo modelo de comercialização de alguns produtos”.

PUB

O Continente Matosinhos e Continente Colombo foram as lojas escolhidas para a realização deste piloto, ficando os equipamentos de refill localizados junto às áreas das respetivas categorias dos produtos vendidos a granel, num ambiente conveniente, inovador e de fácil acesso.

O refill de detergentes está disponível em 6 referências de produtos ecológicos e biodegradáveis, alguns dos quais com certificação Ecolabel, da marca Greendet: detergentes e amaciador de roupa, lava tudo, multiusos WC e detergente de louça manual. Nesta estação de refill, o cliente pode trazer a sua própria embalagem, pagando apenas a quantidade do produto que pretende comprar. Pode também adquirir em loja, embalagens de 1L, 100% recicláveis e reutilizá-las em reenchimentos futuros.

O refill de alimentos baseia-se numa solução desenvolvida pela empresa de tecnologia MIWA, que assegura o controlo e rastreabilidade do produto ao longo de toda a cadeia de abastecimento. Nos equipamentos estão disponíveis produtos das categorias de Frutos Secos, Bio e Alimentação PET da marca Continente. Estes produtos podem ser dispensados para “Smart Cups”, em embalagens reutilizáveis, dotadas de uma etiqueta NFC que comunica com o dispensador e acomoda informações sobre a embalagem e o produto que é adquirido. Existem 3 capacidades de “Smart Cups” – 350 ml, 750 ml e 1.000 ml. Os clientes podem também trazer as suas próprias embalagens.

“Refill Spot by Continente” é uma oportunidade para testarmos os modelos operativos associados a um processo circular das embalagens primárias e secundárias, ao mesmo tempo que asseguramos uma experiência de compra conveniente e ágil.”, afirma Ricardo Santos, Diretor do Continente de Matosinhos.

“Temos clientes a pedirem-nos o alargamento da vasta gama que já disponibilizamos a granel. Com estas soluções inovadoras conseguimos compatibilizar a conveniência para o cliente com os padrões de segurança e qualidade dos produtos que exigimos. Vamos agora avaliar o mais importante que é a resposta dos nossos clientes.”, acrescenta João Maria Gonçalves, Diretor do Continente do Colombo.

Esta iniciativa insere-se no âmbito do plano de ações desenvolvido pela MC aquando da subscrição do New Plastics Economy Global Commitment, da Fundação Ellen MacArthur. O Continente foi o primeiro retalhista português a assumir o compromisso de assegurar até 2025 que todas as suas embalagens seriam recicláveis, compostáveis ou reutilizáveis. Recentemente o desempenho da MC voltou a ser reconhecido pela Fundação Ellen MacArthur: com uma evolução positiva face ao ano de 2020, a MC reforça a sua posição no top 3 do retalho mundial ao ser um dos retalhistas com maior percentagem de embalagens recicláveis, com maior percentagem de incorporação de plástico reciclado e com maior percentagem de reutilização de embalagens.

Sobre o autorAna Rita Almeida

Ana Rita Almeida

Artigos relacionados
Grupo Garland cria nova empresa para acelerar processos alfandegários
Exportação
Cerveja Sagres brinda ao verão com nova campanha
Bebidas
Compal da Horta cria site ‘Conservas sem rodeios’ para valorizar as conservas em lata
Alimentar
Mistura Beirão
Madeirense Ana Camacho vence a primeira edição de “Mistura Beirão”
Bebidas
Inflação leva consumidores a planear poupar nos saldos de verão
Retalho
O Boticário Lab
Grupo Boticário reforça presença em Portugal com o primeiro Boticário LAB fora do Brasil
Retalho
Gonçalo Coelho de Carvalho é o novo diretor comercial e de marketing da Adico
Não Alimentar
Digidelta investe 3,4 milhões na fábrica Decal 4.0 em Torres Novas
Não Alimentar
Bom Petisco continua a apostar na inovação
Bom Petisco com novidade: posta de atum em molho de escabeche
Alimentar
Porto vai receber a XVII Reunião Mundial de Direito Aduaneiro
Logística
Exportação

Grupo Garland cria nova empresa para acelerar processos alfandegários

O Grupo Garland criou a Garland Customs Solutions. A nova empresa do grupo surge com um capital social de 100 mil euros.

O Grupo Garland ciente de que os processos alfandegários costumam ser um dos maiores desafios para quem importa e exporta dentro e fora do território aduaneiro, com mercadorias retidas, documentação extra ou cobrança de taxas desconhecidas, criou a Garland Customs Solutions, que surge com um capital social de 100 mil euros.

Esta nova empresa surge com o objetivo de tratar o processo alfandegário de empresas e pessoas singulares em seu nome, assim como prestar consultoria aos clientes, com esclarecimentos de dúvidas sobre classificação aduaneira, origem das mercadorias, regimes, cálculos de imposições, entre outras.

A Garland Customs Solutions avança em comunicado que formou um despachante oficial e investiu ainda em todo o software inerente à atividade, dispondo também de um armazém alfandegado, que permite assim englobar um serviço de transporte de mercadorias com todos os processos relacionados com o cliente, sem que este tenha de tratar com mais nenhuma empresa.

Esta empresa também facilitará a interligação entre as empresas do Grupo existentes, sendo que a que mais beneficiará será a Garland Transport Solutions.

“A criação de uma nova empresa, representa sempre uma nova aposta, neste caso num novo mercado. Em relação ao Grupo Garland, esta empresa para além de ter um crescimento próprio, externalizado, irá responder também às necessidades internas, já existentes”, explica Giles Dawson, administrador do Grupo Garland e CEO da Garland Transport Solutions. “Este ano será de crescimento controlado, onde prevemos não suprimir, ainda, as necessidades internas do Grupo a 100%”, acrescenta.

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

O Boticário Lab
Retalho

Grupo Boticário reforça presença em Portugal com o primeiro Boticário LAB fora do Brasil

O Grupo Boticário reforça a sua presença em Portugal e reafirma o seu compromisso com a sustentabilidade ao abrir a primeira loja O Boticário LAB fora do Brasil no CascaiShopping.

Concebida para evidenciar ainda mais a sustentabilidade, a  nova loja reflete os fortes compromissos de ESG do Grupo Boticário, trazendo a inovação e o respeito pelo meio ambiente para o território português.

Com um investimento de cerca de 200 mil euros, valor significativamente superior aos 90 mil euros normalmente investidos numa loja O Boticário, a nova loja tem 59m²  e apresenta uma comunicação visual centrada na sustentabilidade, evidenciando a história da empresa e suas iniciativas ecológicas.

“Trazer o conceito do Boticário LAB para Portugal, com uma abordagem orientada para a sustentabilidade, é um sonho tornado realidade. Estamos entusiasmados em ver esta visão concretizada na abertura da primeira loja O Boticário LAB no país. As nossas preocupações ambientais são de longa data e quem conhece o Grupo Boticário sabe da nossa dedicação ao planeta. Queremos que as nossas lojas reflitam, cada vez mais, essa mesma dedicação, mostrando que os nossos compromissos de sustentabilidade vão além dos produtos, estendendo-se também para o design e operação das lojas”, diz Rossana Gama, country manager do Grupo Boticário em Portugal.

 O espaço foi projetado com materiais ecológicos como o ecocero, derivado de plásticos PET, e o polygood, feito de plásticos reciclados. A decoração floral é composta por plantas reais e de fácil manutenção, enquanto a fachada foi construída a partir de 280 garrafas recicladas, e as prateleiras são feitas de polygood. As paredes foram pintadas com tintas à base de água, e a escultura da pia foi criada com materiais 100% recicláveis.

Todos os produtos vendidos na loja têm certificação FSC ou GOTS, assim como as embalagens, papéis, caixas e sacos de pano. A loja também conta com telas digitais e um espaço dedicado ao “Boti Recicla”, o maior programa de reciclagem do Brasil. Além disso, O Boticário LAB oferece uma área para exposição de produtos em formato de refil, permitindo que os consumidores adquiram os seus produtos favoritos de forma mais ecológica.

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

Alimentar

Azeite aumenta 51% num ano

O cabaz alimentar de 63 bens essenciais monitorizado pela Deco PROteste custa 228,06 euros, tendo descido 5 cêntimos face à semana passada. Segundo a mesma análise, o Azeite Virgem Extra teve um aumento de 51% face a 2023. O produto com maior variação desde o início do ano é a maçã gala, com uma subida de 22%.

O cabaz alimentar de 63 bens essenciais monitorizado pela Deco PROteste custa 228,06 euros, tendo descido 5 cêntimos face à semana passada. Há um ano, a 19 de julho de 2023, para comprar o mesmo cabaz, o consumidor gastava menos 11,20 euros (menos 5,16 por cento).

Entre 10 de julho e 17 de julho, os produtos com maior variação de preço quando comparados com a semana anterior foram: cereais fibra +22%, salsichas frankfurt +12%,azeite virgem extra +10%, fiambre perna extra fatiado embalado +10%, porco febras +10%, queijo curado fatiado embalado +8%, queijo flamengo fatiado embalado +7%, carapau +7%, pão de forma sem côdea +6% e o grão cozido +6%.

O azeite custa mais 51% do que há um ano e mais 108% face ao início do conflito na Ucrânia, que influenciou bastante os preços. Quando comparado com a semana anterior (10 a 17 de julho), o preço do azeite aumentou 10%.

Produtos que mais aumentaram entre 19 de julho de 2023 e 19 de julho de 2024
1º Azeite Virgem Extra +3,27€
2º Pescada fresca +3,16€
3º Atum posta em azeite +0,40€
4º Novilho carne +1,56€
5º Ervilhas ultracongeladas +0,49€
6º Alho Seco +0,42€
7º Bacalhau Graúdo +1,49 €
8º Laranja +0,17€
9º Peixe-espada-preto+0,83€
10º Arroz agulha +0,16€

O cabaz avaliado pelo Deco PROteste inclui: Lombo de porco, Frango inteiro, Febras de porco, Costeletas de porco, Bife de peru, Carne de novilho para cozer, Perna de peru, Bacalhau graúdo, Dourada, Salmão, Pescada fresca, Carapau, Peixe-espada-preto, Robalo, Perca, Douradinhos de peixe, Ervilhas ultracongeladas, Medalhões de pescada, Laranja, Maçã gala, Maçã golden, Banana, Tomate, Couve-flor, Alface, Brócolos, Cenoura, Batata-vermelha, Curgete, Alho, Cebola, Couve-coração, Queijo curado fatiado embalado, Queijo flamengo fatiado embalado, Leite UHT meio-gordo, Manteiga com sal, Iogurte de aroma (pack de oito), Iogurte líquido de morango (pack de quatro), Ovos, Grão cozido, Feijão cozido, Óleo alimentar 100% vegetal, Azeite virgem extra, Sal grosso, Arroz carolino, Arroz agulha, Salsichas Frankfurt, Atum posta em azeite, Atum posta em óleo, Açúcar branco, Massa espirais, Esparguete, Polpa de tomate, Farinha para bolos, Cereais de trigo, arroz e aveia integrais, Flocos de cereais de mel, Cereais, Carcaça tradicional, Peito de peru fatiado, Fiambre da perna fatiado, Bolacha maria, Pão de forma sem côdea, Café torrado moído

 

Sobre o autorAna Rita Almeida

Ana Rita Almeida

Retalho

Prime Day 2024 com vendas recorde em valor e em artigos

O Prime Day 2024 foi o maior evento de compras Prime Day de sempre avança a Amazon, com vendas recorde em valor e em artigos do que qualquer evento anterior do Prime Day.

Hipersuper

Este ano foi maior o número de membros Prime a fazerem compras em comparação com o Prime Day 2023 sendo que também se registou um número recorde de clientes que se inscreveram no Prime nas três semanas. Os vendedores independentes, a maioria dos quais são pequenas e médias empresas, venderam mais de 200 milhões de artigos durante o evento Prime Day, acrescenta a retalhista.

Entre os produtos mais vendidos em Portugal durante estão: pastilhas para a máquina de lavar loiça da Finish, recargas para escova de dentes elétrica Oral-B, airfryer Cecotec 6Lt, toalhitas e fraldas Dodot, cápsulas máquina de lavar roupa Ariel, câmara de vigilância TP-Link, recargas para máquina de barbear Philips One Blade, dispositivo para o tratamento de mordidas e picadas de insetos e desodorizante Perspirex.

“O Prime Day 2024 foi um enorme sucesso graças aos milhões de membros Prime em todo o mundo que recorreram à Amazon para aproveitar ofertas fantásticas, e aos nossos muito estimados colaboradores, parceiros de entrega e vendedores em todo o mundo que ajudaram a concretizar o evento para os clientes,” sublinha Doug Herrington, CEO das Lojas Amazon a nível global.

“Adoramos ajudar os membros Prime a poupar dinheiro, e o Prime Day é a celebração máxima das poupanças, da seleção e da conveniência que a adesão ao Prime oferece aos clientes que procuram compras, entretenimento, entrega de alimentos e muito mais.”, acrescenta.

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

O Pingo Doce entregou cabazes com bens essenciais à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Azambuja, para ajudar quem está no terreno na época mais critica de risco de incêndio.

Retalho

Pingo Doce entregou cabazes com bens essenciais aos Bombeiros Voluntários de Azambuja

Ao todo, o Pingo Doce vai entregar mais de 1.800 cabazes a corporações de bombeiros de todos o país. Os cabazes entregues são constituídos por barras de cereais, águas e bolsas de fruta, assim como cremes hidratantes.

Hipersuper

O Pingo Doce entregou cabazes com bens essenciais à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Azambuja, para ajudar quem está no terreno na época mais critica de risco de incêndio. Ao todo, o Pingo Doce vai entregar mais de 1.800 cabazes a corporações de bombeiros de todos o país.

Esta ação de solidariedade pretende ser uma ajuda mais direta aos quartéis de bombeiros, através do donativo de artigos alimentares que possam apoiar os operacionais.

“Com a doação destes cabazes o Pingo Doce vem reforçar o apoio a todos os heróis que, por todo o país, ajudam a evitar a propagação dos fogos e a salvar vidas, todos os anos. Sabemos que perante uma emergência o tempo é escasso, por isso quisemos entregar já estes cabazes, que estão prontos a utilizar em caso de necessidades nestas corporações.” sublinha Filipa Pimentel, diretora de desenvolvimento sustentável e impacto local do Pingo Doce.

 

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

ESG

Greenvolt chega ao Alentejo em parceria com o Grupo Nabeiro-Delta Cafés

Numa parceria firmada com o Grupo Nabeiro-Delta Cafés, a Greenvolt vai criar em Elvas, a ‘Comunidade de Energia Galeria Alentejo’.

Hipersuper

A Greenvolt Comunidades, empresa do Grupo Greenvolt, em parceria com o Grupo Nabeiro-Delta Cafés, vai inaugurar a primeira comunidade da Greenvolt no Alentejo, em Elvas. “A energia obtida a partir da irradiação solar produzida nas Galerias Alentejo vai passar a partilhar o excedente de energia limpa gerada com outros consumidores locais”, informam os parceiros num comunicado.

A instalação de 162 painéis solares fotovoltaicos vai permitir gerar mais de 130 MWh anualmente, com 75% desta energia a ser partilhada com os restantes espaços comerciais. A aposta do Grupo Nabeiro-Delta Cafés permitirá ainda reduzir emissões de CO2 em mais de 35 toneladas.

Este espaço comercial, localizado na Avenida de Badajoz, pertencente ao Grupo Nabeiro-Delta Cafés, está já equipado com 162 painéis solares fotovoltaicos com uma capacidade instalada de 88 KWp, o que vai gerar 137 MWh anualmente, sendo que apenas uma parte dessa energia é utilizada pelas Galerias.

A energia para autoconsumo representa apenas 32 MWh e o seu excedente energético será agora partilhado. A ‘Comunidade de Energia das Galerias Alentejo’ passará a contar com cerca de 100 MWh anuais que poderão ser consumidos por outras entidades que se juntem a esta comunidade, nomeadamente as restantes lojas presentes neste espaço, entre elas a Pepco, a Olívia Cake Boutique e o Coffee Time.

“Quero agradecer ao Grupo Nabeiro-Delta Cafés, por se juntar a nós na expansão da Greenvolt Comunidades no país. Chegámos, com esta parceria, ao Alentejo, uma região em que é óbvia a geração de energia a partir dessa fonte inesgotável que é o sol”, refere João Manso Neto, CEO do Grupo Greenvolt.

“A sustentabilidade está no nosso ADN e trabalhamos continuamente para a conciliação entre o modelo de crescimento económico e o modelo de sustentabilidade de todas as nossas empresas”, refere, por sua vez, o CEO do Grupo Nabeiro-Delta Cafés, Rui Miguel Nabeiro.

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

Bebidas

Relatório de Sustentabilidade da Água Monchique destaca progressos em 2023

O relatório detalha os progressos do plano de ação instituído até 2025, que foi estruturado em torno de quatro eixos – desenvolver as pessoas, agir pelo clima, inovar para impactar, e ser transparente e justo.

Hipersuper

A Sociedade da Água Monchique divulgou o seu segundo Relatório de Sustentabilidade, onde destaca os progressos feitos em práticas de responsabilidade ambiental, social e de governança (ESG), entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2023.

O relatório “enfatiza e detalha os esforços da organização para promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, reafirmando seu compromisso com a transparência e com os stakeholders”, indica a empresa num comunicado.

No relatório, estão detalhados os progressos referentes ao plano de ação instituído até 2025, que foi estruturado em torno de quatro eixos – desenvolver as pessoas, agir pelo clima, inovar para impactar, e ser transparente e justo.

No âmbito da meta de aumentar a produção de energia100% renovável, a empresa revela já ter implementado a primeira fase no complexo industrial e estar a implementar a segunda fase referente aos armazéns.

A Água Monchique está ainda a trabalhar na meta de reduzir o consumos de energia elétrica em 20% e prevê realizar em 2024 o objetivo de formar colaboradores e desenvolver iniciativas relacionadas com a redução do consumo de água, resíduos e energia e também o objetivo de formar 100% dos utilizadores em eco condução.

Segundo o Relatório de Sustentabilidade, em 2023 a empresa tinha em curso estudos para efetivar melhorias nas suas políticas de ‘waste management’, “com particular incidência na gestão de resíduos e nos processos de reciclagem”.

O Relatório de Sustentabilidade é considerado estratégico para a empresa e está alinhado “com sua missão de contribuir para um futuro mais sustentável e equitativo, com impacto positivo no meio ambiente e na sociedade em geral”, destaca no comunicado.

“É um documento onde procuramos transmitir de forma clara e honesta a nossa evolução ao longo de 2023. Monitorizamos metas e cumprimos compromissos assumidos com os nossos colaboradores, clientes, fornecedores, parceiros e com a comunidade em geral”, explica o CEO da Sociedade da Água de Monchique.

Vítor Hugo Gonçalves, assegura que este posicionamento “a busca por um planeta mais saudável, por um mundo mais justo e equilibrado”. “Estamos dedicados a construir um futuro onde a inovação e a sustentabilidade caminham lado a lado. Cada página é um convite para que se junte a nós. Esperamos que se sintam inspirados pelo que alcançamos e sobretudo pelo que ainda está por vir”, conclui.

A Sociedade da Água de Monchique explora a concessão pública da água mineral de Monchique que se distingue pela sua unicidade e pelo seu elevado pH natural de 9,5. A Água Monchique foi distinguida pelo Monde Selection de La Qualité com um ‘grande ouro’, dois ‘ouro’ e com três estrelas douradas pelo International Taste Institute. Em 2023 renovou os estatutos ‘PME Líder’ e ‘PME Excelência’, atribuídos pelo IAPMEI, e passou a integrar o ranking das ‘1000 Maiores e Melhores PME´s’ a operar em Portugal.

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

Bebidas

CH by Chocapalha considerado o Melhor Arinto de Lisboa

O CH by Chocapalha branco foi premiado com a medalha de Ouro e arrecadou a distinção de “Melhor Arinto”, uma ode à casta mãe da casa.

Hipersuper

O CH by Chocapalha 2020 foi distinguido com dois prémios no Concurso Vinhos de Lisboa 2024, iniciativa promovida pela Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa (CVR Lisboa).

Disponível em branco e tinto, a gama de vinhos CH by Chocapalha é um tributo à matriarca da família – Alice Tavares da Silva. Embaixadora de Chocapalha, do terroir e dos vinhos, é conhecida por ser a mais calorosa anfitriã: é Alice quem recebe os visitantes de enoturismo.

Os vinhos inscritos no concurso foram avaliados por especialistas do setor e os vencedores foram revelados no Jantar e Cerimónia de Entrega de Prémios que decorreu no dia 29 de junho, em Lisboa. Na cerimónia foram atribuídas 17 medalhas de Prata, 25 medalhas de Ouro e quatro medalhas Grande Ouro, com destaque ainda para a distinção de quatro vinhos com o Prémio Excelência e para a eleição do “Melhor Leve Lisboa” e “Melhor Arinto”, este último atribuído à Quinta de Chocapalha.

 

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

Arlindo Cunha, presidente da CVR Dão

Bebidas

Dão Invicto vai apresentar os vinhos do Dão ao público do Porto

“O Dão Invicto é um evento de contato direto com consumidores, que visa apresentar os vinhos do Dão ao público da cidade do Porto”, refere ao Hipersuper o presidente da Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR Dão), Arlindo Cunha.

O Dão Invicto, evento de vinhos que celebra a tradição vitivinícola da região do Dão, está de regresso e realiza-se este ano a 19 e 20 de julho, no Mercado do Bolhão, Porto.

Na edição de 2024, cerca de 20 produtores da região vão dar a provar os seus vinhos. Haverá ainda diversas provas comentadas por especialistas convidados, em que será dado destaque a diferentes especificidades dos vinhos Dão, como monovarietais das castas Encruzado, Touriga-Nacional, Alfrocheiro ou Jaen.

“Também teremos porta-vozes disponíveis para falar sobre o evento e outros temas que têm estado na agenda mediática nos últimos tempos”, revela o presidente da Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR Dão), ao Hipersuper.

“O Dão Invicto é um evento de contato direto com consumidores, que visa apresentar os vinhos do Dão ao público da cidade do Porto”, destaca Arlindo Cunha, acrescentando que apesar de não se destinar especificamente ao enoturisto, ao escolher o Mercado do Bolhão para a edição deste ano, a CRV Dão “teve também o propósito de captar turistas que, provando os nossos vinhos, serão também um fator de divulgação dos mesmos”.

O responsável recorda que a Comissão tem desenvolvido várias atividades relacionadas com o enoturismo, muitas das quais através da Rota dos Vinhos do Dão, que conta neste momento com cerca de 50 aderentes em toda a região, ou através da presença em feiras nacionais e internacionais especializadas em turismo e enoturismo.

Vinhos complexos, longos e equilibrados

O Dão têm características próprias, vincadas pelas castas nativas ou ali radicadas há muito, como Touriga-Nacional, Encruzado, Alfrocheiro, Jaen, Bical, Malvasia-Fina, Cerceal ou Uva Cão, que originam uma “complexidade de vinhos” com “caráter e elegância”, que se distinguem “pela sua frescura, complexidade e equilíbrio, pela sua longevidade e vocação eminentemente gastronómica”, apresenta o presidente da CVR Dão.

“Esta enorme diversidade genética da vitis vinífera, traduzida em cerca de 70 castas devidamente identificadas e caracterizadas pelo Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão, levou o crítico internacional de vinhos Paul White a afirmar que o Dão é a ‘Arca de Noé’ das castas portuguesas”, sublinha Arlindo Cunha.

Em 2016, no âmbito do PO Centro 2020, a CVR Dão foi uma das cinco comissões vitivinícolas a integrarem o Projeto Estratégico de Apoio à Fileira do Vinho na Região Centro, que teve como objetivo incentivar a promoção dos vinhos da Região Centro – Dão, Bairrada, Beira Interior, Lisboa e Tejo.

Investimento em I&D

A par das ações de promoção, a CVR Dão tem investido em projetos que aliam as especificidades endógenas à investigação e inovação.

Foi o caso da caracterização do comportamento agronómico de Encruzado e Touriga Nacional, “duas castas de elevado potencial para a região do Dão”, em várias parcelas da região, em conjunto com o Instituto Politécnico de Viseu (IPV). “Este projeto encontra-se agora num terceiro ciclo, através do programa PROVERE – ‘Estratégia para a Valorização da Fileira dos Vinhos’, onde se pretende continuar esta caracterização, bem como desenvolver outras linhas de I&D aplicada à fileira”, explica Arlindo Cunha.

Em 2021, a Comissão definiu uma Agenda de Investigação, Desenvolvimento e Inovação para a Região do Dão, para dar resposta às necessidades de base científica do setor para para melhorar a sua competitividade. Nesse âmbito, em 2022 foi estabelecida a implementação do Polo do Dão do CoLAB Vines & Wines, financiado pela Missão Interface, da Fundação para a Ciência e Tecnologia. O Polo do Dão, resulta da parceria entre a CVRD, a ADVID, a CCDRC e o IPV.

E no âmbito do PRR – Agenda Mobilizadora Vine & Wine.PT, a CVR Dão é um dos parceiros do projeto ‘Biogrape Sustain’, que tem como objetivo caracterizar variedades autóctones com elevado potencial para a qualidade e autenticidade dos vinhos do Dão, tendo iniciado este projeto em 2022.

O Dão Invicto 2024, que inclui a realização de workshops de vinho, tem as portas abertas no Mercado do Bolhão entre as 15h e as 20h. 

São estes os produtores presentes na edição deste ano: Adega de Mangualde, Adega de Penalva, ALLGO, Cabriz / Casa de Santar, Casa Américo Wines. Caves Arcos do Rei. Julia Kemper Wines. Juliana Kelman, Palácio Anadia, Pedra Cancela. Quinta das Camélias, Quinta dos Carvalhais, Quinta da Cerca, Quinta da Gândara. Quinta de Lemos, Quinta dos Monteirinhos, Quinta das Queimas, Olho Gordo/Chicane, Soito Wines, UDACA, Vinhos Borges.
A entrada é gratuita e o custo do copo é de 10 euros.

Sobre o autorAna Grácio Pinto

Ana Grácio Pinto

Retalho

Buy Now Pay Later já entrou nos hábitos de consumo dos portugueses

Portugal é, atualmente, o segundo país europeu onde o BNPL é mais adotado, ficando apenas atrás da Alemanha, recorrendo ligeiramente mais aos pagamentos a prestações (59%) do que aos pagamentos diferidos (57%).

Hipersuper

O mercado do Buy Now Pay Later (BNPL) tem vindo a crescer em toda a Europa, com quase 7 em cada 10 dos consumidores a utilizarem este método de pagamento (68%). Esta é uma das conclusões do estudo anual sobre as tendências no setor dos pagamentos, realizado pela FLOA em parceria com a Kantar, que revela que o pagamento fracionado e o pagamento diferido são amplamente adotados como solução de pagamento e esperados pelos consumidores aquando do planeamento de uma compra.

De acordo com o mesmo estudo, 71% dos portugueses já utilizaram o BNPL no mercado nacional, 41% dos quais são utilizadores regulares. Esta percentagem está alinhada com a tendência geral de utilização na Europa: 68% dos europeus utilizam o BNPL e 44% são utilizadores regulares.

Portugal é, atualmente, o segundo país europeu onde o BNPL é mais adotado, ficando apenas atrás da Alemanha, recorrendo ligeiramente mais aos pagamentos a prestações (59%) do que aos pagamentos diferidos (57%).

Além disso, 51% dos utilizadores nacionais fazem uma a três compras por ano recorrendo a estas soluções (40% à escala europeia). 26% dos portugueses fazem oito compras ou mais (40% dos utilizadores europeus) por ano com soluções BNPL.

O estudo destaca o uso crescente de BNPL para compras de eletrodomésticos (50%), que é a primeira categoria de produtos pagos com soluções BNPL em 2023. Os produtos tecnológicos estão em segundo lugar (44%) e as viagens (34%) em terceiro lugar.

O BNPL é utilizado pelos portugueses, em primeiro lugar, como uma solução para fazer face a acontecimentos inesperados (64%), mas é também uma forma de comprar produtos mais qualitativos ou sustentáveis (49%) ou de se agradar a si próprios (39%).

Alexandre Carrera Lejeune, responsável da FLOA para a Península Ibérica, declara que “os estudos realizados anualmente em conjunto com a Kantar desempenham um papel fundamental para conhecer a opinião dos portugueses sobre os diferentes meios de pagamento e, em particular, sobre o uso de soluções BNPL”.

“Os resultados mostram que, tanto online como nos pontos de venda físicos, a utilização de métodos de pagamento digitais está a aumentar, e o BNPL não é exceção. Devido à sua capacidade de proporcionar maior flexibilidade orçamental, esta solução está a ser adotada por um número crescente de portugueses”, acrescenta.

Método de pagamento é o segundo critério mais importante para os consumidores na escolha de uma marca em Portugal

A importância do BNPL está muito ligada à experiência do cliente e prova disto é que o tipo de método de pagamento disponível é o segundo critério mais importante para os consumidores na escolha de uma marca em Portugal (37%), a par da notoriedade da mesma. É também um fator valorizado na medida em que mais de metade dos utilizadores portugueses de soluções BNPL (54%) mudaria de ponto de venda se este método de pagamento não lhe fosse disponibilizado.

Online, os consumidores portugueses continuam a enfrentar algumas situações incómodas: a recusa de uma facilidade de pagamento (95%) e a necessidade de descarregar uma aplicação (90%) continuam a ser as mais incómodas e podem mesmo levá-los a desistir da mesma (56% e 57%, respetivamente).

Já em pontos de venda físicos, a recusa de uma facilidade de pagamento (93%) ou de um método de pagamento (92%) e a necessidade de comunicar informações pessoais (90%) são as mais incómodas e podem levá-los a abandonar o estabelecimento (mais de 40%).

Sensíveis à qualidade dos produtos que escolhem, 74% dos portugueses estão dispostos a pagar mais por produtos de melhor qualidade ou mais sustentáveis.

Neste sentido, o BNPL pode ajudar no caminho para um consumo mais sustentável, uma vez que 49% dos utilizadores portugueses o consideram como uma forma de adquirir bens de maior qualidade ou mais responsáveis do ponto de vista ambiental.

Além disso, mais de um terço (37%) sentir-se-ia encorajado a comprar em segunda mão se soluções de BNPL estivessem disponíveis facilmente para este tipo de compra.

O estudo Payment Trends, realizado pela FLOA em parceria com a Kantar em 2023, envolveu mais de 4.000 inquiridos distribuídos geograficamente em França, Espanha, Bélgica, Itália, Portugal, Alemanha e Países Baixos.

Sobre o autorHipersuper

Hipersuper

PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB
PUB

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2024 Hipersuper. Todos os direitos reservados.