Homepage Newsletter Sustentabilidade

BCSD Portugal apresenta ferramenta de gestão de indicadores ESG

Por a 21 de Abril de 2023 as 10:30

sustentabilidade1O BCSD Portugal lançou uma ferramenta, desenvolvida em parceria com a C-MORE, de análise e monitorização do grau de maturidade das empresas em sustentabilidade e de gestão de indicadores ambientais, sociais e de governo corporativo (ESG, na sigla inglesa), ajudando-as a evoluir na sua jornada de sustentabilidade e a monitorizar o seu desempenho.

Disponível para qualquer empresa, independentemente da atividade, setor ou dimensão, esta ferramenta surge no âmbito da iniciativa “Carta de Princípios e Jornada 2030″ do BCSD Portugal, a qual já conta com mais de 185 empresas signatárias e que tem como objetivo reforçar as práticas de gestão sustentável baseadas em seis princípios: conformidade legal & conduta ética; direitos humanos; direitos laborais; prevenção, saúde e segurança; ambiente; e gestão.

Utilizando a tecnologia e o algoritmo patenteado da C-MORE – o ESG Maturity -, a ferramenta da Jornada 2030 mede, avalia, e monitoriza o desempenho ESG das empresas, com base em 20 objetivos ambientais, sociais e de governança, e apresenta recomendações baseadas no setor e na materialidade da empresa (plano de ação).

A ferramenta sustenta-se em três funcionalidades de fácil acessibilidade: Biblioteca, que centraliza conteúdos que podem apoiar as empresas na sua transição para a sustentabilidade, nomeadamente em relação aos 20 objetivos da jornada 2030 no negócio e na sua cadeia de valor, aos standards internacionais de referência já disponibilizados publicamente e conteúdos próprios que cada empresa poderá carregar no seu perfil; questionário, que analisa as práticas de gestão da sustentabilidade das empresas e o seu desempenho nos indicadores ESG da Jornada 2030; e painel geral, que sistematiza a informação recolhida no questionário permitindo às empresas conhecer o seu desempenho em ESG.

“Têm vindo a ser adotadas diretivas para acelerar a transição das empresas para a sustentabilidade, nomeadamente, a recente diretiva sobre o reporte de informação não financeira, Corporate Sustainability Reporting Directive (CSRD), e a diretiva do dever de diligência, que exigem às empresas responsabilidades crescentes relativamente aos temas ESG a montante e a jusante das suas cadeias de valor. O BCSD Portugal vai continuar em 2023 a apoiar as suas empresas nestes temas através de ferramentas práticas, como esta, ajudando-as a incorporar a sustentabilidade nas suas cadeias de valor”, afirma João Wengorovius Meneses, secretário-geral do BCSD Portugal.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *