FMCG Homepage Newsletter

Setor de grande consumo em perda no segundo trimestre

Por a 3 de Agosto de 2021 as 11:51

retalhoO setor do grande consumo registou perdas de 8,5% em valor e de 9,5% em volume no segundo trimestre do 2021, na comparação com igual período de 2020, segundo um estudo da Kantar, em parceria com a Centromarca.

Na análise semestral, os bens de grande consumo cresceram 2.0%, em valor, com uma quebra de 1,1% em volume, face a igual período de 2020.

A maior assiduidade na compra está de regresso, com um aumento homólogo de 5,8% na frequência de compra nos primeiros seis meses do ano. Registou-se, no entanto, uma quebra de 6,8% no volume por ato de compra em relação aos primeiros seis meses de 2020.

“As quebras a nível do PIB, do consumo privado e do turismo, a que se adiciona a redução do índice de confiança dos consumidores e o forte inflacionamento dos preços das matérias-primas marcam um cenário difícil para o setor do grande consumo e justificam a evolução negativa do mercado no retalho alimentar”, salienta Pedro Pimentel, diretor-geral da Centromarca, citado em comunicado.

O responsável explica que o comparativo como o segundo trimestre de 2020 é “ainda penalizado pelo retrocesso do consumo em casa e alguma recuperação do consumo fora-de-casa e pelo pico de compras de stockagem ocorrido no início da primavera do ano passado”.

Analisando por categorias de consumo, a alimentação e as bebidas registaram os maiores crescimentos no primeiro semestre de 2021 respetivamente de 3,1% e de 7,2% em valor, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Os produtos de limpeza caseira e de higiene e beleza sofreram quebras de 5,7% e de 9,0% em valor, respetivamente.

“Os dados do semestre mostram um regresso dos consumidores às lojas, com um aumento significativo do número de visitas, acompanhado da natural descida do volume e valor das cestas. Os crescimentos em alimentação, e especialmente na área das bebidas, foram mais do que compensados pelos retrocessos nos produtos de limpeza caseira e de higiene e beleza, que apesar de continuar em terreno negativo parece mostrar alguns sinais de recuperação” conclui Marta Santos, sector director da Kantar.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *