Distribuição Homepage Newsletter Produção

Lidl abre canal direto com produtores portugueses

Por a 29 de Setembro de 2020 as 16:07

lidlSeia2020_880x660O Lidl lançou a iniciativa de apoio à produção local e nacional “Da minha terra”, através da qual produtores das diversas regiões portuguesas podem candidatar as suas iguarias a serem vendidas nas mais de 250 lojas da insígnia em Portugal durante, pelo menos, um ano. A cadeia quer promover e ajudar a vender os produtos alimentares que representam cada região de Portugal, sendo, por isso, únicos e autênticos. E abre, por isso, este canal direto com os produtores nacionais.

Produtores das categorias de charcutaria, queijo, bolos secos e doçaria podem candidatar os seus produtos no site do Lidl a partir desta terça-feira até 31 de outubro. É, depois, feita uma seleção das candidaturas, seguida de um “pitch day” em novembro, onde os produtores se deslocam às instalações do retalhista para “apresentar” os produtos e conhecer a equipa por detrás do projeto.

“As empresas vencedoras terão oportunidade de vender os seus produtos nas nossas lojas no próximo ano fiscal, que começa em março”, disse esta terça-feira aos jornalistas Bruno Pereira, administrador do Lidl. Os produtos vão ser vendidos com a marca do produtor, sob a umbrella do conceito “Da minha terra”. “Não é uma marca registada, não é uma marca de distribuição. Queremos dar visibilidade ao produtor e à sua origem”.

Vinhos e queijo: novas marcas chegam ao Lidl

“Já começámos a fazer este trabalho com os vinhos e, atualmente, temos cerca de 10 a 15 novos produtos no nosso sortido permanente”, conta Bruno Pereira, acrescentando que a empresa também tem feito várias ativações com marcas de queijo. “Estamos a apoiar mercados mais pequenos, alguns fornecedores do canal Horeca que perderam negócio com a pandemia, permitindo-lhes compensar alguma queda de faturação. Algumas das marcas não estiveram nos últimos anos presentes nos lineares da distribuição moderna”, acrescenta.

Entre os requisitos para a seleção dos produtos, destacam-se sobretudo “a qualidade e alguma consistência na entrega”. Se, por exemplo, o fornecedor só tiver capacidade para abastecer 40 lojas, isso não é uma limitação para integrar os lineares dos supermercados da cadeia de origem alemã, garante o administrador. A cadeia também não vai exigir aos fornecedores certificações internacionais e, se for necessário algum fornecedor fazer investimentos para abastecer a cadeia, a empresa pode comprometer-se com um contrato de distribuição mais alargado.

Atualmente, o Lidl tem 240 fornecedores nacionais e vende nas suas lojas 860 produtos portugueses. Para dar a conhecer este novo projeto, a cadeia vai promover a iniciativa através de uma campanha de comunicação em loja e nos canais digitais.

Um comentário

  1. Manuel Dias

    16 de Outubro de 2020 at 8:56

    Bom dia, sou produtor de legumes e vi esta publicação que me deixou com algum interesse.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *