Distribuição Homepage Newsletter Ponto de Venda

Perfumaria e beleza. Distribuidores omnicanal perdem terreno para os online “pure players”

Por a 3 de Setembro de 2020 as 12:49

image001A Advantage Int’l, empresa especialista em relações B2B (Business to Business), revelou os resultados do seu mais recente relatório Advantage Report Retailer, que inclui as avaliações de qualidade recíprocas entre as marcas do setor de beleza e as lojas de perfumes e beleza que distribuem os seus produtos.

Uma das principais conclusões da edição 2019-2020 deste estudo anual, na qual estão envolvidos novos participantes, mostra que os “pure players” especializados (apenas distribuem através do canal online) deram a volta à tendência de um mercado com um histórico carácter tradicional e já são as mais valorizadas pelas marcas de luxo.

Para a elaboração do relatório, foram avaliados 43 fabricantes e 22 retalhistas chave do setor. Foram realizados um total de 309 questionários, nos quais diferentes variáveis foram avaliadas em áreas de negócio como organização, relações comerciais, processos da cadeia de fornecimento e comércio eletrónico, entre outras.

Com respeito à classificação final no comércio eletrónico de perfume e beleza, o “pure player” Perfume’s Club alcançou a melhor pontuação global deste relatório.

“A Perfume’s Club é uma empresa espanhola, sediada em Maiorca, líder do setor no país e que entrou também em força no mercado português, com um site específico e recursos humanos portugueses para suporte ao cliente”, revela um comunicado de imprensa.

Espaços físicos cedem lugar aos “pure players”

Os resultados do novo relatório da Advantage Int’l marcam uma mudança no conceito existente de mercado seletivo para perfumaria e beleza, mostrando um processo de modernização em que os estabelecimentos físicos estão a ceder lugar face aos “pure players”, que “parecem demonstrar ter uma visão de futuro e sabido encontrar um verdadeiro nicho de mercado”, lê-se no documento.

Num setor historicamente tradicional e seletivo, onde a apresentação física dos produtos era um dos sinais de luxo e exclusividade, surge uma nova realidade de um consumidor global que compra por impulso e procura a comodidade e o imediatismo através da Internet. Neste contexto, se até há poucos anos as marcas de luxo do setor da perfumaria e beleza se recusavam a investir no canal digital, são agora estas a defender que, com o tempo, os pontos de venda físicos desaparecerão e apenas alguns ficarão para exercer uma função de aconselhamento mais pessoal.

A força dos “pure players” especializados reside principalmente em três valores: conhecimento do negócio, compreensão de como funciona o canal online, graças à concentração de recursos no comércio eletrónico, e especialização em marketing digital. Do mesmo modo, o desenvolvimento tecnológico avançado permite ter planos de ação transparentes e executar, em conjunto com as marcas, melhores estratégias para atrair os consumidores.

Por contrário, o relatório demonstra que os distribuidores omnicanal pecam, por vezes, por tratar o canal online como um método de venda rápida, entrando em guerras de preços que desvalorizam os bens de luxo contra os interesses das próprias marcas: “Uma loja de perfumes não deve ser confundida com um supermercado, são conceitos diferentes”, sublinhou uma das marcas participantes neste estudo de mercado.

Um comentário

  1. Jorge Xavier

    26 de Outubro de 2020 at 12:16

    “Uma loja de perfumes não deve ser confundida com um supermercado, são conceitos diferentes”. Ora nem mais!

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *