Distribuição Homepage Newsletter

Limite de clientes em loja afeta vendas do Pingo Doce

Por a 7 de Agosto de 2020 as 15:39

Pingo DoceAs vendas do Pingo Doce, cadeia de supermercados da Jerónimo Martins, registaram 1.838 milhões de euros no primeiro semestre do ano, o que representa uma quebra de 2,9% em relação à primeira metade do ano passado, quando as vendas se cifraram em 1.893 milhões de euros, revela a Jerónimo Martins em comunicado enviado à CMVM com as contas consolidadas do primeiro semestre.
O EBITDA do Pingo Doce registou 94 milhões de euros, 21% abaixo do conseguido nos primeiros seis meses de 2019.

“Em Portugal, a economia está a sofrer pela sua sobre-exposição ao setor do turismo e pelas consequências das fortes restrições impostas à atividade de retalho.  Estes fatores tiveram impacto imediato na rentabilidade dos nossos modelos de negócio”, sublinha Pedro Soares do Santos, presidente do conselho de administração da Jerónimo Martins.

“O Pingo Doce, devido ao histórico de elevado número de visitas e alta densidade de vendas, esteve particularmente exposto aos limites impostos ao número de clientes dentro das lojas e registou uma redução de vendas de 2,9%. Este desempenho traduz o forte impacto do segundo trimestre, no qual as vendas caíram 8,8%”, lê-se no comunicado.

Nos primeiros seis meses do ano, a insígnia abriu três novas localizações e remodelou seis superfícies comerciais.

O grupo Jerónimo Martins alcançou vendas de 9.317 milhões de euros na primeira metade do ano, o que representa uma subida de 4,6% em relação aos 8.908 milhões de euros vendidos no semestre homólogo. O EBITDA do grupo cifrou-se em 635 milhões de euros, 4,9% abaixo do primeiro semestre de 2019.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *