Distribuição Homepage Newsletter

Alibaba abre três novos supermercados Hema

Por a 17 de Julho de 2017 as 16:24
Jack Ma, fundador da Alibaba
Jack Ma, fundador da Alibaba

A Alibaba abriu mais três lojas físicas na China, concretamente em Beijing e Shangai, estendendo para 13 o número de supermercados Hema, apelidados pela empresa de Jack Ma de “new retail”.

A gigante chinesa do ecommerce apresentou pela primeira vez em 2015 o conceito de loja Hema, que oferece uma experiência de compra em que o online e o offline se cruzam. Através de uma aplicação móvel, os consumidores conseguem aceder a todas as informações sobre os produtos e pagar as compras efetuadas no espaço, que vende maioritariamente frescos.

Os artigos expostos nos supermercados do grupo asiático apresentam códigos de barras que, ao serem digitalizados através da aplicação mobile disponível, fornecem aos utilizadores informações e recomendações de ofertas similares.

Os clientes podem comprar diretamente através da mesma aplicação, que está interligada com a plataforma de pagamento da Alibaba, a AliPay, e levantar as compras no balcão da loja. Podem também tornar-se membros do programa de fidelização da insígnia, através das suas contas no marketplace Taobao ou na Alipay, o que lhes permite aceder a informações sobre a oferta disponível e lojas mais próximas. Assim, a retalhista consegue acompanhar o comportamento de compra dos clientes e oferecer, por exemplo, recomendações personalizadas. Além disso, permite-lhe adequar a oferta de produtos frescos nas lojas Hema com base nos consumidores localizados na área do local.

hema_alibaba

O software consegue ainda traçar as rotas de entrega, uma vez que as lojas Hema funcionam ainda como pontos de preparação das encomendas online, feitas através da “app”, para serem entregues em casa dos clientes. Cada loja serve um raio de três quilómetros, garantindo entregas em 30 minutos após a encomenda.

A primeira loja Hema inaugurou há um ano e meio. A Alibaba garante que as vendas por unidade de área nestes pontos de venda são entre três a cinco vezes mais elevadas face aos tradicionais supermercados, sendo que os compradores das lojas Hema efetuam, em média, cinco compras por mês e 50 por ano e as encomendas online representam mais de metade do total de pedidos.

Neste momento, o ecommerce pesa 15% das vendas retalho na China. Com esta estratégia de confluência entre online e offline, a gigante chinesa pretende trazer os 85% da população que ainda não aderiu à transformação digital.

Fonte: ZDnet.com

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *