Destaque Homepage Distribuição Homepage Newsletter

Faturação da Jerónimo Martins cresce 6,5% em 2016 para €14,6 mil milhões

Por a 23 de Fevereiro de 2017 as 10:30
jm

As vendas do grupo Jerónimo Martins alcançaram no último ano os 14,6 mil milhões de euros, uma subida de 6,5% face a 2015. A cadeia Pingo Doce faturou 3558 milhões de euros no exercício anterior e, na Colômbia, a cadeia Ara mais do que duplicou as vendas.

O grupo liderado por Pedro Soares dos Santos observa crescimentos de vendas nas insígnias de retalho detidas em Portugal, Polónia e Colômbia. Segundo o comunicado emitido esta quarta-feira à CMVM, o resultado líquido ascendeu aos 593 milhões de euros. Excluindo o impacto da venda de 100% da Monterroio, a sub-holding para os negócios da indústria e serviços, à Sociedade Francisco Manuel dos Santos (operação ocorrida em julho de 2016), o resultado líquido cifra-se nos 361 milhões de euros, uma subida de 14,5% face a 2015. O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização)  cresceu 7,8% para os 862 milhões de euros.

A cadeia Pingo Doce obteve no último ano um crescimento de 4,7% em vendas para os 3558 milhões de euros, sendo que o resultado “like-for-like” (LFL) evidencia um crescimento de 1,2%. A cadeia gerou um EBITDA de 192 milhões de euros (+2% face ao ano anterior). A grossista Recheio, por sua vez, viu as suas vendas aumentarem 5,9% para os 878 milhões de euros. Numa base comparável de lojas, a subida foi de 5%.

Na Polónia, as vendas da cadeia alimentar Biedronka alcançaram ganhos LFL de 9,5%, com as vendas totais de 9781 milhões de euros. A cadeia de “drugstores” Hebe, que inclui a cadeia de farmácias Apteka Na Zdrowie, operada pelo grupo nacional naquele País, apresenta uma evolução positiva nas vendas de 22,2% para os 122 milhões de euros. A cadeia de saúde e bem-estar fechou o ano com mais 19 lojas que 2015, num total de 153 espaços.

Já a Ara, insígnia de supermercados na Colômbia, encerrou 2016 com 221 pontos de venda em três regiões do país sul-americano, tendo entrado no último ano na região de Bogotá. 236 milhões de euros foi a faturação atingida no exercício, tendo mais do que duplicado as vendas face a 2015.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *