Destaque Homepage Newsletter Produção

Portuguesa Frulact investe €18 milhões no Canadá

Por a 28 de Novembro de 2016 as 10:54
rogerio-silva_frulact

Rogério Silva, administrador executivo da Frulact, deu a conhecer no 19º Congresso da Aplog o plano estratégico da empresa portuguesa de preparados de fruta para garantir entregas em dois dias na América do Norte

A empresa portuguesa de preparados à base de fruta Frulact está a levar a cabo um investimento de 18 milhões de euros numa unidade de produção em Kingston, no Canadá, com o objetivo de garantir entregas em dois dias aos clientes da América do Norte. A fábrica começará a funcionar “em março de 2017”, revelou Rogério Silva, administrador executivo da empresa, por ocasião do 19º congresso da Associação Portuguesa de Logística (Aplog), realizado entre 19 e 20 de outubro, em Lisboa.

A empresa sediada na Maia, cuja fábrica erguida em 2005 na Covilhã “foi considerada a melhor do setor na Europa”, pretende chegar a 2020 com duas novas fábricas – a unidade que está a ser construída no Canadá e uma outra que para já “ainda não pode revelar”. Até ao momento, a empresa detém instalações fabris em França, Tunísia, Argélia, Marrocos e África do Sul.

A produtora nacional fundada em 1987 fatura neste momento cerca de “100 milhões de euros por ano e tem assente um plano estratégico de desenvolvimento, a partir do qual prevê chegar aos 190 milhões de euros em 2020”.

Um total de 90% dos produtos segue para a indústria de laticínios para clientes como a Nestlé, a Danone ou a Yoplait. “23% dos produtos vendidos anualmente são novos, com novas origens e novos certificados. A diversidade é chave do negócio. Temos que criar valor para as marcas que fornecemos. Não podemos entregar o mesmo produto para duas marcas diferentes”, sublinha o administrador, um dos convidados da associação portuguesa de logística para falar sobre os desafios logísticos de um negócio internacional e complexo. Para garantir a qualidade dos alimentos, a empresa acompanha a produção de todos os seus fornecedores, desde os produtos utilizados no cultivo da fruta aos processos de encaminhamento para as suas instalações, tendo desenvolvido uma plataforma para “orquestrar toda a informação disponível nas operações logísticas”.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *