Homepage Newsletter Opinião

NÃO ME LIXES! Por António de Souza-Cardoso, presidente da AGAVI

Por a 12 de Agosto de 2016 as 10:30
António de Souza-Cardoso
Por António de Souza-Cardoso, presidente da AGAVI

– Sabes que a AGAVI, a Associação para a Promoção da Gastronomia e do Vinho, em parceria com outras entidades vai fazer uma Campanha designada “Não me Lixes”?

– Que giro, sério? Mas é sobre quê?

– Sobre a Luta contra o Desperdício Alimentar! Este é o ano Internacional da Luta contra o Desperdício Alimentar!

– Ah! Engraçado ser uma Associação de Promoção da Gastronomia a fazer isso….

– Pois, sabes que quem gosta de comer, tem horror à fome e por isso quer proteger aqueles que têm carências alimentares. E há outros parceiros como a AEP, a AHRESP, a LIPOR, a Santa Casa da Misericórdia do Porto. Faz sentido, certo?

– Claro. Mas o que é a Campanha?

– A Campanha tem uma data de acções muito inovadoras. Dou-te exemplos: Na apresentação pública da campanha, o Chef José Cordeiro fez no Restaurante “Porto Sentido” um almoço só com coisas que as pessoas não usam – cascas de batata, sementes e pevides, troços de grelos e…. surpresa: estava tudo uma delícia!

Depois, no dia Nacional da Gastronomia, a 29 de maio, em Aveiro, foi iniciada uma ação chamada “do contentor para o prato”. No fundo, é um contentor do lixo, decorado com os motivos da campanha, com duas voluntárias – uma empurra o contentor e a outra aparece dentro do contentor e oferece comida fresca às pessoas que passam. É giro, porque é uma acção de psicologia invertida que chama a atenção para o facto de não podermos deitar ao lixo comida boa! Por isso é de um caixote do lixo que essa comida boa sai e é oferecida à população.

– Muito engraçado, mas são acções de sensibilização, então?

– Sim, sabes que isto é uma questão cultural. Em Portugal são desperdiçadas por ano 300.000 toneladas de alimentos. Um terço é desperdiçado na produção, outro terço na distribuição e o terço restante no consumo. Se continuamos a desperdiçar assim em 2050 teríamos que ter mais 70% dos alimentos que hoje produzimos e que já não chegam para a população existente.

– Bolas… E que mais acções há agora?

– Muitas. Teremos a acção “Prato consciente” que é um desafio que lançamos a uma estilista e um grupo empresarial para a realização de serviços de mesa a distribuir nos restaurantes mais relevantes, em que os pratos e travessas são 17% mais pequenos que os pratos standard.

– 17%…?

– Sim, é a percentagem média de alimentos desperdiçada nos pratos e travessas! Teremos também uma acção com a ATP, que é a Associação de Têxtil e Vestuário de Portugal, com marcadores em linho – uma fibra natural, com motivos que chamam a atenção para a luta contra o desperdício. Os marcadores terão uma versão Premium a distribuir pelas Embaixadas e Instituições que recebem pessoas e uma versão mais barata e massiva, dos mesmos marcadores em papel para ser distribuídos pelas Cantinas e Escolas.

– Excelente…

– Espera que há muito mais, temos uma acção para os mais miúdos que se chama “de pequenino se torce, mas não se desperdiça o pepino”, que é um livro infantil com as dicas e os ensinamentos que sublinham a importância de um uso criterioso do alimento. Temos a Fashion Food em pareceria com a Modtíssimo e com as melhores Bloggers que farão receitas que aproveitam os excedentes alimentares. Os Concurso nas escolas para os melhores Mupies da Luta contra o Desperdício e muitas, muitas outras iniciativas. E, todos os dias, durante três meses, um espaço televisivo a que chamamos “minuto sem desperdício”, dará dicas, exemplos, boas práticas, receitas, testemunhos e tantas outras notícias que ajudem a criar uma ideia e um sentimento colectivo de Luta contra o Desperdício.

Estamos também a articular com a Produção e Movimentos que têm grande vitalidade como é o caso da “Fruta Feia”, algumas acções que permitem combater o desperdício nesta área. Queremos também com a APED realizar um conjunto de iniciativas nos Hipermercados, como é o caso dos “HHH – Hiper Happy Hours” em que são vendidos produtos com um prazo de validade mais curto mas que também são vendidos a preços muito mais curtos!

– Parabéns, parece-me tudo muito interessante. Estou convencido!

– Não me interessa nada que estejas convencido. Sabes que em Portugal há 375.000 pessoas que passam fome diariamente, das quais 120.000 são crianças? Vá, não quero que te convenças, quero é que te comprometas e participes!

 Junta-te a nós no WWW.AGAVI.PT. NÃO ME LIXES!

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *