Destaque Destaque Homepage Distribuição Entrevista Homepage Newsletter

Três perguntas a… Emílio Goyanes, diretor operacional e fundador da Kiwoko

Por a 5 de Agosto de 2016 as 17:49
Emílio Goyanes, diretor operacional e fundador Kiwoko
Emílio Goyanes, diretor operacional e fundador Kiwoko

É a maior cadeia de lojas de animais em Espanha e chegou a Portugal em junho com a abertura de duas lojas no Algarve. Emílio Goyanes, diretor operacional e fundador da Kiwoko, explica em entrevista ao HIPERSUPER a estratégia para o mercado luso.

  • Qual a estratégia na seleção de sortido nas lojas portuguesas? 

A seleção do nosso sortido é pensada de acordo com as necessidades de todos os animais, desde cães, gatos, pequenos pássaros, coelhos, peixes e répteis, com a intenção de os tornar os reis lá de casa. Um dos nossos pilares é a inovação e, por isso, oferecemos produtos diferenciadores que satisfaçam os animais a todos os níveis: saúde, diversão e bem-estar.

  • Como é que se diferenciam dos vossos concorrentes já instalados em Portugal? 

2Como grandes amantes de animais, as nossas lojas caracterizam-se por oferecer uma experiência de compra única, onde o consumidor pode encontrar qualquer produto e serviço que necessite, assegurando um excelente cuidado para todos os animais. Nas nossas lojas temos disponíveis mais de cinco mil produtos em exposição e 50 mil por encomenda, além de diversos serviços, o que torna a nossa oferta muito ampla. Além disso, em ambas as lojas, contamos com um centro de adoção que, através da colaboração com instituições locais, promove a adoção responsável de cães e gatos que ainda não tiveram a sorte de encontrar um lar.

  • Onde compram os produtos que comercializam? Têm fornecedores portugueses? 

Os produtos que comercializamos nas nossas lojas vêm maioritariamente de Espanha mas também já temos fornecedores locais. Nas lojas disponibilizamos ainda uma vasta seleção de produtos de marca própria, de elevada qualidade mas a um preço mais acessível.

Para aceder ao artigo completo publicado na última edição impressa clique aqui (só para assinantes).

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *