FMCG Marcas

Sumol+Compal compra mais fruta nacional

Por a 19 de Setembro de 2011 as 14:40

Durante a visita da ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, Assunção Cristas, às instalações da fábrica da Sumol+Compal, em Almeirim, a companhia anunciou a assinatura de contratos com um conjunto de agricultores nacionais, que prevêem o fornecimento de 40 mil toneladas de pêssego nos próximos 10 anos.

“Os contratos assinados com agricultores nacionais demonstram a aposta da Sumol+Compal na fileira da fruta e inserem-se numa estratégia mais ampla de reforço das exportações de sumos incorporando fruta portuguesa”, garantiu Duarte Pinto, presidente executivo da companhia.

Os novos contratos cobrem 50% das necessidades de pêssego da Sumol+Compal, assegurando à empresa o fornecimento regular daquela matéria-prima. Do lado dos produtores que assinaram contrato fica garantido o escoamento da sua produção.

A área total contratada é de 135 hectares, estando 75 hectares de novos pomares já plantados em 2011 e 60 hectares a plantar em 2012.

Detendo quatro unidades de industriais – Almeirim, Pombal, Gouveia e Vila Flor – a Sumol+Compal registou, no primeiro semestre de 2011, um volume de negócios de160,2 milhões de euros, correspondendo a uma descida de 2,2% face a igual período do ano anterior. Estes resultados foram penalizados pela performance no mercado nacional, onde a companhia viu as receitas caírem 4,6% face aos primeiros seis meses de 2010, período em que as vendas totalizaram 118,1 milhões de euros. No mercado internacional, no entanto, a Sumol+Compal continua com performance de crescimento de duplo dígito (+19,8%), terminando o primeiro semestre com 34,6 milhões de euros em receitas.

A quebra no consumo em Portugal foi reflectiu-se, contudo nos resultados líquidos da companhia, tendo registado uma quebra de 20,7% para 2,2 milhões de euros.

As estimativas para as vendas nos mercados internacionais (excluindo Espanha) apontam, apesar da situação difícil no mercado interno, para um crescimento, esperando a companhia terminar 2011 com receitas na ordem dos 70,5 milhões de euros, ou seja, mais 8,9 milhões de euros que em 2010.

 

 

Um comentário

  1. Carlos Manuel Afonso Rei

    27 de Setembro de 2015 at 12:49

    Bom dia,
    Sou produtor agricola e tenho quantidade de marmelos para venda, agradecia que me informassem se são compradores.
    cumprimentos
    C.Rei

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *