Destaque Distribuição

EuroCommerce atribui crescimento das marcas próprias ao desinteresse da indústria

Por a 14 de Junho de 2010 as 13:17

O EuroCommerce, entidade que representa os sectores da distribuição, grossistas e comércio internacional, admitiu recentemente que “o crescimento da marca própria se deve à falta de interesse da indústria ao não ir ao encontro das exigências dos consumidores”.

O secretário-geral da entidade que agrupa as grande cadeias de super e hipermercados europeus, Xavier Durieu, referiu ao diário espanhol CincoDías, que o incremento dos produtos de marca própria nos lineares dos estabelecimentos comerciais se deve “a um aumento da procura por produtos mais económicos, mas de qualidade e que a indústria não atende, de modo que tem de ser a distribuição a suprimir essa ausência”.

Durieu respondeu ainda à polémica gerada, por exemplo, em Espanha, com a retirada de determinadas marcas por parte de algumas cadeia, especialmente pela Mercadona, por falta de vendas: “isto é um negócio. Se um produto não cumpre as expectativas de venda, não há nenhum motivo para obrigar as empresas de distribuição a manter esse mesmo produto”, negando, igualmente, que os consumidores estão a perder poder de escolha.

Sobre a pressão que alguns fornecedores denunciaram, por causa da limitação da concorrência que uma grande cadeia retalhista pode impor devido à não comercialização de determinadas marcas, o secretário-geral do EuroCommerce concluiu que “nalguns países há mais concentração na oferta de determinados produtos, como os refrigerantes, cervejas ou pizzas, do que no sector da distribuição”.

2 comentários

  1. Pedro Martins

    15 de Junho de 2010 at 22:35

    Quando for grande gostava de ser secretário-geral do Eurocommerce, é fácil falar com a faca e o queijo na mão.
    Sua excelência ou ignora a forma de actuação da distribuição actualmente e faz estas declarações ingénuas ou não está a ser honesto.
    Aconselho a que visite um espaço comercial das cadeias que representa e veja a desproporção de espaço entre marcas brancas e marcas da Indústria, e se não for pedir muito veja os contratos leoninos a que a Indústria está sujeita.

  2. Catarina Batalha

    15 de Junho de 2010 at 9:28

    As marcas de distribuição crescem porque os distribuidores aproveitam o dinheiro das marcas da indústria para baixarem o das suas marcas próprias, enchem as prateleiras com a sua própria marca, entre outras manobras.
    É dificil de concorrer desta forma.

    É bom salientar que as marcas da indústria é são pioneiras e inovam e sem estas o mercado não consegue evoluir. No final são os consumidores os principais prejudicados.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *