Destaque Distribuição

Onde estão os consumidores a cortar para poupar?

Por a 5 de Março de 2010 as 9:30

Comprar alimentos e bebidas mais baratos, adiar compras que exijam investimentos de grande dimensão, como automóveis e electrodomésticos, e frequentar cafés, bares ou pubs com menor frequência.

Eis as três medidas mais adoptadas pelos europeus para poupar dinheiro.

As conclusões são do estudo da GfK “Dia-a-dia de poupança na Europa“, que tentou analisar o comportamento de poupança dos consumidores europeus face ao actual cenário de crise.

Mas estas preocupações não se registaram em todos os países do Velho Continente. Enquanto, por exemplo, os consumidores da Alemanha, do Reino Unido, da França e da Áustria estão a tentar reduzir grande parte das despesas, os espanhóis e polacos não têm essa preocupação urgente: um em cada três inquiridos disse não fazer nada para reduzir a despesa familiar.

Cada cabeça sua sentença

Mais de quatro em cada dez consumidores, na Alemanha, Holanda e Áustria, tentam comprar produtos alimentares e bebidas o mais barato possível. Em contrapartida, os russos e italianos estão a gastar menos em roupa e calçado (49% e 43% respectivamente).

Outra forma de limitar as despesas diárias passa por comer fora com menos frequência. Na Alemanha (48%), França (45%), Áustria (41%) e Itália (42%) é  a medida mais adoptada.

Os russos (45%) e os alemães (42%) estão a tentar adiar as compras maiores, como carros ou electrodomésticos. Ir menos vezes a pubs, bares ou cafés é outra forma de reduzir as despesas diárias: quatro em cada dez inquiridos franceses e alemães afirmam reduzir as despesas adoptando esta medida.

Mulheres mais poupadas

As mulheres europeias manifestam mais necessidade de economizar do que os homens: compram produtos alimentares e bebidas mais baratas (42% contra 34%), gastam menos com roupa e calçado (43% contra 36%) e compram jornais e revistas com menos frequência (24% contra 18%).

Já as donas de casa europeias, da classe média, poupam dinheiro em alimentos e bebidas (48%), limitam as despesas com roupa e calçado (47%) e vão a cafés (43%), restaurantes (46%) e cinema (45%) com menos frequência.

Um comentário

  1. Manuela Ferreira

    8 de Março de 2010 at 9:30

    Bem sabemos que estamos a atravessar uma crise Grande.
    Eu comcei por diminuri nas despesas, cortar as coisas que não são de primeira necessidade, cortei nas idas ao café,agora raramente vou almoçar ou jantar fora, quanto ao vestuário e calçado limito-me a comprar o menos possível, fazendo transformações nos mesmos etc.
    Na alimentação compro sempre das coisas mais baratas e em promoção. Evito ir o menos possível ás grandes superfícies pois se vamos muitas vezes compramos o que nem precisamos.Eu vejo por vezes pessoas a fazer compras que até fico com pena delas, pois compram, compram vê-se mesmo que não estão a fazer contas ao que copram, mas sim pela vontade de comprar.
    Eu levo o papel de casa com o que necessito e compro só o que levo no papel e tento fazer as compras o mais rápido possível, vou direita aos sitios onde sei que estão as coisas, e não me perco a andar de corredor em corredor a ver o que mais quero comprar.
    Com muito gosto eu deixo aqui o meu comentário.
    Bom dia.
    Manuela Ferreira

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *