Homepage Newsletter Opinião

Perfis de Natal: o que procuram as empresas nos colaboradores para a época mais atarefada do ano?

Por a 5 de Dezembro de 2017 as 15:45
Mara Martinho_M&P

Por Mara Martinho, Consultora Michael Page Retail

Nos dias de hoje é comum ver uma multidão que corre para o trabalho, que almoça em quinze minutos e que quer receber o troco em dois segundos. É essa mesma multidão que olha para o relógio quando o trânsito não avança e, principalmente, quando a pessoa que está à sua frente na fila do supermercado ou em qualquer outra loja de comércio demora uma eternidade a ser atendida. No Natal não é diferente. Aliás, arrisco-me a dizer que no Natal é pior. Porquê? Porque para além de ser a época onde residem os 40% da faturação das empresas de comércio a retalho e isso se traduzir em maior afluência quer logística quer de loja, é a altura do ano na qual as pessoas mais compram e – curiosamente – menos paciência têm para o fazer! Daí a necessidade de contratação de peças-chave como reforço desta época festiva ser tão importante!

O ano de 2017, contudo, é um caso até então singular. O tempo seco, o sol e a pouca chuva fizeram com que as botas, os casacos grossos e a vontade de passar fins de semana em centros comerciais tardasse a aparecer. Se nos anos que que antecederam as compras natalícias aconteceram a partir de outubro, este ano começaram a realizar-se pouco antes da chegada do mês de dezembro. Outra particularidade deste ano é o tema turismo – creio que dificilmente haverá muitos mais anúncios para o reforço do Natal neste setor, uma vez que a lotação dos hotéis e serviços similares foi quase total em todas as alturas do ano e, por isso mesmo, os seus colaboradores deixaram de ser precisos apenas temporariamente.

Assim sendo, os reforços de Natal incidem-se no comércio, na distribuição e na logística, nomeadamente para funções de promotores, operadores de loja, repositores e operadores de armazém. E aqui há oportunidades de trabalho!

Na ótica do consumidor, este ‘apenas’ precisa de um colaborador que o auxilie e aconselhe a escolher as suas compras, um outro que rapidamente possa efetuar o pagamento e um terceiro para as embrulhar devidamente, isto para conseguir obter uma experiência perfeita!

No outro lado – nas empresas – para que tal aconteça é preciso realizar um bom recrutamento e seleção de forma a conseguir os melhores colaboradores – seja na linha da frente a proporcionar momentos felizes ao consumidor, seja em todas as funções de apoio que conseguem criar e fazer chegar atempadamente o produto para ser consumido.

Uma das características que mais vemos anunciada é “com experiência (preferencialmente)” pois apesar de ser concedida uma formação previa, a grande maioria tem formação ‘on-the-job’ com os colaboradores mais antigos e se for alguém sem qualquer experiência profissional anterior neste meio é mais difícil adaptar-se ao ritmo de trabalho que é exigido e praticado nesta altura.

Todavia, alguém sem qualquer experiência profissional poderá também ter a mais-valia de não levar ‘vícios’ e ser formado profissionalmente à imagem da empresa que integra. Outros aspetos relevantes, mais voltados para as ‘soft skills’, incidem-se na pró-atividade, no dinamismo, na rapidez, na disponibilidade, na entrega, na capacidade de trabalhar em equipa e sob pressão.

Um bom reforço de Natal é alguém que consegue desligar-se de toda a sua envolvência de caos e transformar o atendimento ao cliente num momento mágico como é imperativo nesta época e que faz por impulsionar uma venda quando o consumidor já está pré-definido a comprar aquelas meias para a tia, aquele perfume para a avó ou a gravata que o pai tanto queria; que não olhe para o relógio na sua hora de saída quando a loja ainda estiver cheia ou o trabalho praticamente a meio; que se reveja no seu local de trabalho e procure ’vestir a camisola’ até na fração mais ínfima da sua atividade diária.

Por fim, é sabido que todos os colaboradores que se conseguem destacar nesta época como reforço de Natal, se tornam parte integrante da empresa a curto-médio prazo, pelo que poderá ser certamente uma porta de entrada para quem estiver numa situação de procura de uma nova oportunidade. Principalmente nesta época, acredite!

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *