Destaque Destaque Homepage Homepage Newsletter Produção

Bosch apresenta na CES 2017 novas soluções conectadas para automóveis, casas e indústria

Por a 6 de Janeiro de 2017 as 15:32
20161216_en_infografik_vorab_1024x512_de_engl_06_bosch_vorabkom_e_connected_mobility

A Bosch afirma-se como “a única empresa de tecnologia” presente na feira mundial de tecnologia CES 2017, a decorrer em Las Vegas, “a mostrar soluções para os vários domínios: casas inteligentes, cidades inteligentes, mobilidade conectada e Indústria 4.0”.

Arrancou esta quinta-feira em Las Vegas, Estados Unidos, a feira mundial de eletrónica de consumo e tecnologia CES 2017. O evento termina no próximo dia 8 de janeiro. O fornecedor mundial de serviços e tecnologia Bosch, que detém em Braga uma unidade de “Car Multimedia”, mostrou no certame um conjunto de novas soluções que revelam a visão da marca sobre o futuro: “casas e cidades inteligentes, mobilidade conectada e Indústria 4.0”. A empresa tem como objetivo “colocar em rede 100% dos produtos eletrónicos e oferecer um pacote de serviços conectados para cada produto”, como revelou durante a conferência de imprensa da multinacional no certame Werner Struth, membro do conselho de administração da multinacional.

Automóveis como assistentes de quatro rodas

Para o setor automóvel, a fornecedora apresenta na CES um novo conceito de veículo inteligente o qual permite que, no momento em que o condutor se senta, a tecnologia de reconhecimento facial ajuste o volante, os espelhos, a temperatura interior e a estação de rádio de acordo com as preferências do condutor. O sistema é controlado através de um ecrã tátil e de um sistema de controlo por gestos, os quais estão a ser desenvolvidos com o envolvimento da equipa de I&D (Investigação e Desenvolvimento) da Bosch em Braga.

A comunicação personalizada entre o veículo e o condutor é alargada neste novo conceito, com a introdução de novas funções que conectam o automóvel ao ambiente que o rodeia, à casa inteligente e à oficina. “Estas funções vão tornar possível a condução autónoma. Se o automóvel estiver conectado, através da cloud, à casa ou cidade inteligentes, trará benefícios mensuráveis. A conectividade está a transformar o automóvel num assistente de quatro rodas”, explica Werner Struth.

Num automóvel automático, os serviços em cloud permitem, por exemplo, realizar videoconferências, planear compras de fim-de-semana ou ver vídeos durante a viagem. Além disso, facilitam processos que podem se revelar demorados como o do estacionamento. O automóvel deteta durante as viagens os espaços vagos entre carros estacionados e, através do serviço alojado na cloud que usa os dados para criar um mapa de estacionamento em tempo real, o condutor poupa tempo à procura de um lugar.

bosch_concept-car_ces2017
Em termos técnicos, as unidades de controlo de comunicação, como a central Gateway da multinacional de tecnologia, asseguram a conectividade. A Gateway é um pólo que garante as comunicações com todos os domínios em todos os dados. A ETAS e o ESCRYPT, que fazem parte do grupo Bosch, fornecem soluções de transmissão e encriptação, assegurando que as atualizações de software dos veículos em cloud são realizadas em segurança durante a vida útil do veículo. “Se o automóvel comunicar com o que está em seu redor, as atualizações de segurança devem ser realizadas numa base regular”.

“Está a tornar-se cada vez mais importante oferecer funções inteligentes adicionais e serviços personalizados às necessidades individuais e hábitos de utilização. A personalização é uma tendência em crescimento no domínio da conectividade e nós estamos a liderar esta tendência”, afirma Werner Struth.

Casas inteligentes e assistentes domésticos

Por sua vez, o sistema de casa inteligente da Bosch permite controlar dispositivos conectados em casa através de uma única aplicação. Com o “gestor de cenários”, quando o utilizador sai de casa deixa de existir necessidade de verificar se o aquecimento, os equipamentos elétricos ou as luzes ficaram de facto desligadas. Ao ativar diferentes cenários, o gestor executa por meio da aplicação inteligente da Bosch as tarefas rotineiras definidas.

A Internet das coisas aplicada às casas faz também com que, por exemplo, o detetor de fumo monitorize a qualidade do ar e a sua sirene pode ser usada para assustar visitantes indesejados.

Além disso, a Bosch está a desenvolver produtos especificamente pensados para serem assistentes pessoais. Um exemplo é o “My Kitchen Elf” – ou Mykie, um assistente digital operado através da voz do utilizador que responde às perguntas e ajuda a executar as tarefas diárias. O Mykie sabe por exemplo o que está no frigorífico, quanto tempo o bolo deve ficar no forno ou qual a previsão meteorológica para a tarde. O utilizador pode controlar toda a gama de aparelhos domésticos “Home Connect” da Bosch e o Mykie pode também juntar virtualmente vários utilizadores, para que possam cozinhar em conjunto ou trocar ideias de receitas, por exemplo.

Assistente doméstico Mykie

Assistente doméstico Mykie

 

Apresentação mundial do robô doméstico Kuri

Ainda no domínio dos assistentes domésticos, a Mayfield Robotics, startup da Bosch especializada no desenvolvimento de robôs domésticos, apresenta no CES 2017 o Kuri – o primeiro robô comercial, cujo lançamento está agendado para os EUA no final de 2017.

O robô tem cerca de 50 centímetros de altura e está equipado com diferentes sensores. Interage com os moradores e pode, por exemplo, tocar música ou informar os pais quando os seus filhos voltaram para casa da escola. Mais de 30 engenheiros e designers de robótica trabalham na sede da startup, em Redwood City, na Califórnia.


Automatização com a Indústria 4.0

A multinacional de tecnologia projetou o robô APAS especificamente para uso na Indústria 4.0 – ou Indústria Conectada. O APAS assume tarefas “cansativas, perigosas e monótonas e foi projetado para cooperar de perto com os seres humanos”. Graças ao seu sensor de pele, o assistente de produção automática deteta quando uma pessoa fica muito perto e desliga imediatamente.

Com a nova solução IoT Gateway, a empresa também pode oferecer os benefícios da indústria conectada aos operadores de máquinas mais antigas. A solução combina tecnologia de sensores, software e um sistema de controlo industrial habilitado para IoT, “o que torna possível monitorizar o estado das máquinas”.

“Muitas máquinas não estão conectadas. Entre outras coisas, faltam os sensores necessários, software ou conexão com os sistemas de TI – que são os pré-requisitos da produção em rede. Em termos globais, o mercado de soluções de retrofit, como o Gateway Bosch IoT, vale muitos mil milhões”, sublinha o responsável.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *