Homepage Newsletter Produção

Fraldas de criança 100% portuguesas ganham prémio europeu de inovação

Por a 19 de Outubro de 2016 as 12:40
Nunex

A única marca portuguesa de fraldas de criança, a Nunex, produzida em Viana do Castelo, recebeu um prémio europeu de inovação no salão internacional do setor. O Wabel é um certame anual dedicado aos produtos domésticos e de cuidados pessoais e teve lugar recentemente em Paris, França.

O júri da edição de 2016 do salão Wabel atribuiu à Nunex Worldwide o prémio Inovação, na categoria Baby Care, pela conceção da fralda “Active Dry”, onde concorria com marcas de renome internacional.

“Conseguimos otimizar três das principais características de uma fralda: absorção, suavidade e competitividade. A Active Dry é mais absorvente do que a maioria das fraldas,  mais suave e com camada interior que melhora a velocidade de absorção e proporciona uma melhor rehumidificação, ou seja, a pele do bebé mantém-se seca por mais tempo. É resultado de muita investigação e de vários testes de laboratório até chegar ao produto final”, sublinha Marco Silva, diretor-geral.

A Nunex pertence ao grupo Ghost, que detém ainda as empresas Suavecel e a Fortissue, do mesmo ramo de atividade, a higiene pessoal. A empresa produz fraldas descartáveis para crianças e adultos e outros produtos de higiene pessoal 100% fabricados em Portugal, fornece produtos “private label” para a grande distribuição em cada vez mais mercados internacionais.  O seu objetivo é ser uma empresa “worldwide”, com distribuição e reconhecimento mundial.

Atualmente, exporta para destinos como França, Inglaterra, Noruega, Marrocos ou China e está a abordar países como Alemanha, Colômbia, Venezuela, Cuba e Nigéria.

Abriu portas em 2012, num investimento total de 9,5 milhões de euros e prevê até ao final do próximo ano investir mais de 17 milhões de euros na aquisição de novas máquinas, permitindo a criação de novas linhas de produção de fraldas para adultos, de tampões e pensos higiénicos.

As três fábricas do grupo empregam 230 colaboradores e cerca de 90% da produção sai das fábricas de Viana do Castelo para grandes retalhistas nacionais e internacionais, sobretudo da Europa.

 

 

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *