Análise Data Center Newsletter

Salmão: saudável e menor gasto por acto de compra

Por a 14 de Novembro de 2012 as 20:40
salmao_iglo

Por Kantar Worldpanel

O salmão tem sido umas das categorias com melhor desempenho no total FMCG, nos últimos anos.

De acordo com o painel de lares da Kantar Worldpanel, o primeiro semestre de 2012 não foi excepção, conseguindo esta categoria em volume um crescimento de 76.3% e em valor de 47.7% e esta evolução em valor nem sequer teve a ver com o aumento do preço médio por quilo, já que este diminuiu 16.2%. Com efeito, o salmão conseguiu aumentar a sua base de compradores em 8.5 pp (pontos percentuais), em relação ao primeiro semestre de 2011, crescendo ainda a compra média em 32% e a frequência de compra e o gasto médio em 10.6%. Este crescimento, poderá ter a ver com o facto de o “salmão” exigir um menor out-of-pocket (gasto médio por acto), e pelas suas características de um peixe “mais saudável”, ser mais procurado que os demais. Aliás, apenas “carapau”, “sardinha” e “solha” têm um gasto médio por acto menor que salmão.

O “salmão fresco” continua a ser o segmento com mais peso, conseguindo mesmo aumentar a sua quota de mercado em volume de 81.3% para 86.7%. “Salmão congelado” e “salmão pronto (fumado/marinado)” representam em volume respectivamente 11.4% e 1.9%, perdendo ambos quota de mercado para “salmão fresco”.

A esta situação poderá não ser alheio o esforço de contenção que os lares têm vindo a fazer, já que o salmão fresco é quase duas vezes mais barato que o “salmão congelado” e quase quatro vezes mais barato que “salmão fumado/marinado”.

O salmão fresco não é apenas uma segmento estrela dentro da categoria a que pertence, como também na categoria de “peixes frescos”, que inclui também “carapau”, “pescada”, “dourada”, “peixe espada”, “robalo”, “sardinha”, “polvo”, “lula”, “choco”, “solha”, “corvina”, “maruca”, entre outros. Com mais compradores que “salmão fresco”, que tem 27,5% de penetração, só mesmo o “carapau”, cuja penetração é de 30.8%.

Dentro de “salmão fresco”, aquele que é vendido avulso representa 95.5% do mercado em volume, enquanto o embalado representa apenas 4.5%. E segmentando o “salmão fresco” de acordo com o peso, a compra de pesos maiores são os que têm maior importância em termos de quota de mercado em volume. Entre 500gr a 999gr têm um peso em volume de 36.8%, entre 1 Kg e 1,9 Kg, atinge os 30.5% de quota em volume, e 2Kg ou mais representam 21.2%. (Ver gráfico Nº3)

Visto que o “salmão fresco” é o segmento mais importante para o total da categoria de “salmão” e tendo em conta que muito do “salmão fresco” é vendido avulso, como se disse anteriormente, as marcas não têm expressão. Assim, para se analisar a quota de mercado das MDD versus das Marcas de Fabricantes, há que fazê-lo apenas ao nível do “salmão congelado”, que é onde efectivamente existe uma clara distinção entre Marcas de Fabricantes e MDD. Assim, em volume, as MDD representaram 48.7% do mercado de “salmão congelado”, quando no primeiro semestre de 2011 tinham 38.1%.

Período em análise: 1º Semestre de 2012

Salmão: Fresco, congelado e pronto

Salmão Fresco = Até 299Gr, 300 a 499Gr, 500 a 999Gr, 1 Kg, 1,999 Kg, 2 Kgs e mais

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *