Opinião Ponto de Venda Tecnologia

A geração high-touch!

Por a 9 de Junho de 2010 as 10:49
miguel_oliveira_edigma

We are not waiting on any invention. It is here. It is now. It is almost genetic in its nature, in that each generation will become more digital than the precedenting one.”

Nicholas Negroponte

O tacto é o primeiro sentido a desenvolver-se durante a gestação, os dedos são uma das áreas mais sensíveis do nosso corpo e existem cerca de 100 receptores de toque na ponta de cada dedo ! Não estamos a falar de high-teck… Mas, sim de high-touch !

Na verdade, os dedos têm uma alta resolução na relação com as tecnologias tácteis no general (se pensarmos que os conteúdos têm de ser ajustados a essa realidade), são “equipamento de série” e já nascemos com dez deles…

Uma fatia muito considerável dos utilizadores dos equipamentos com touch incorporados são membros das novas gerações, são jovens… Podemos dizer, membros de uma geração high-touch!

Mais do que saber quantos são, ou se representam o maior grupo demográfico de utilizadores, temos consciência que os jovens que estão a crescer com o advento destas facilidades tecnológicas com touch incorporado, têm certamente novas perspectivas da realidade.

Efectivamente, todas as novas formas de comunicação e interacção existentes estão a alterar profundamente os nossos hábitos e a forma como percepcionávamos o mundo; as empresas, a natureza das trocas comerciais e as ferramentas de marketing. No entanto, estas mutações são encaradas muito naturalmente pela geração que está a crescer com estes novos equipamentos touch e como se relacionam intimamente com eles e entre eles.

O visionário Alan Kay descreve de uma forma muito pertinente essa constatação, afirmando que a tecnologia só é tecnologia para as pessoas que nasceram antes de ser inventada. Nesse sentido, a tecnologia é completamente transparente para os jovens de hoje. A este propósito, Idit Harel do MIT (Massachusetts Institute of Technology) argumenta que para os miúdos é como usar um lápis. Os pais não falam do lápis, falam de escrever. Os miúdos não falam nas novas tecnologias com soluções touch – falam de fazer uma pesquisa num motor de busca (que poderá ser num ecrã táctil), etc.

Obviamente que as marcas podem sempre optar por ignorar esta realidade… Os directores de marketing precisam de saber que os clientes evoluíram e estão disponíveis para uma relação mais interactiva e ser surpreendidos com o uso de touch experiences. O seu plano de marketing já contempla esta realidade?

Miguel Peixoto de Oliveira, CEO da Edigma

Um comentário

  1. João Alberto Catalão

    11 de Junho de 2010 at 13:47

    Muito bom este artigo. parabéns!

    Pois é, quem ainda não entendeu que esta é a era dos “emonegócios” continua apenas a “activar” o racional…não vão longe…

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *